A diretora do ‘Benfica Olímpico’ e antiga atleta do clube, Ana Oliveira, considerou hoje que finalmente se fez “luz”, tardia, mas desejável, em relação ao adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

“Finalmente fez-se luz, foi um pouco prolongada [a espera]”, disse à agência Lusa a diretora dos ‘encarnados’, considerando que o adiamento foi a melhor decisão face ao momento que se vive.

O adiamento de Tóquio2020 foi hoje anunciado em conjunto pelo Comité Olímpico Internacional (COI) e Comité Organizador dos Jogos, devido à pandemia da Covid-19, que já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

“Nas presentes circunstâncias e baseado nas informações dadas hoje pela Organização Mundial de Saúde, o presidente do COI [Thomas Bach] e o primeiro-ministro do Japão [Shinzo Abe] concluíram que os Jogos da XXXII Olimpíada em Tóquio devem ser remarcados para uma data posterior a 2020 e nunca depois do verão de 2021”, lê-se no comunicado.

Esta decisão foi, de acordo com o mesmo documento, tomada “para salvaguardar a saúde dos atletas, de toda a gente envolvida nos Jogos Olímpicos e de comunidade internacional”.

Ana Oliveira reiterou que esta foi “a melhor decisão” e que ajuda a “aliviar o aspeto psicológico e social” com que os atletas se debatem, num momento de isolamento face à pandemia.

Uma das preocupações da responsável do projeto olímpico é a da criação de locais “seguros” de preparação, com as condições de isolamento adequadas para que os atletas possam manter alguma atividade.

Para já, a ex-atleta recomenda os níveis mínimos de atividade, num processo que obriga a deixar passar a fase crítica, com a recomendação de novos hábitos aos atletas.

Ainda em relação ao adiamento, Ana Oliveira reforçou ter sido uma “decisão muito importante”, mas que “pecou por tardia” e deixou sugestões em relação aos processos de qualificação, que pararam a partir de fevereiro.

“Esta decisão dá-lhes [aos atletas] mais tempo para pensarem na fase seguinte”, considerou a responsável, explicando que é mais importante ser agora racional do que emocional.

Importante na opinião da diretora do Benfica é o reajuste dos processos de apuramento, com a sugestão de um congelamento entre os meses de fevereiro de 2020 e 2021, com os atletas a recomeçarem a ‘pontuar’ a partir de março do próximo ano.

“Seria um ‘período zero’, entre fevereiro de 2020 e 2021”, defendeu a responsável, numa medida que não prejudicaria os resultados alcançados até ao início da crise em Portugal.

Após este adiamento dos Jogos Olímpicos, Ana Oliveira disse também aguardar com expectativa uma tomada de posição em relação aos Europeus de atletismo em agosto, em Paris, que se mantêm calendarizados.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 386 mil pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 17.000 morreram.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 30 mortos e 2362 infetados confirmados. Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.