O velocista norte-americano Christian Coleman teve hoje a suspensão de dois anos reduzida para 18 meses pelo Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), por violação das regras antidoping, mas irá falhar os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Campeão mundial dos 100 metros em 2019, Christian Coleman, de 25 anos, foi suspenso pela Unidade de Integridade do Atletismo (IAU) por um período de dois anos, a partir de 14 de maio de 2020, devido a três violações das obrigações de localização para os controlos antidoping.

O TAS, após analisar o recurso de Coleman, reduziu a suspensão para 18 meses, mas a punição só expirará em novembro, três meses após os Jogos Olímpicos Tóquio2020, previstos para decorrer de 23 de julho a 08 de agosto, no Japão.

O painel de três juízes do TAS considerou que 18 meses “foi a sanção apropriada às circunstâncias”, porque, no seu entender, Coleman não foi inteiramente culpado por ter falhado um dos três testes no período a que reporta o castigo.

Coleman, que se sagrou campeão mundial dos 100 metros em 2019 em Doha, no Qatar, depois de ter sido ilibado de uma questão técnica devido a falhas nos testes, poderá defender o título em ‘casa’ no Mundial de 2022 de Eugene, no Oregon.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.