Penalva César avançou que, além das cinco atletas já apuradas, vão voltar à atividade os atletas que ainda têm a possibilidade de qualificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio2020 - ​​​​​​​inicialmente marcados para decorrer de 24 de julho a 09 de agosto, mas adiados para o período de 23 de julho a 08 de agosto de 2021.

Estão apuradas as velejadoras Deisy Nhaquile, Maria Machava e Denise Parruque e as pugilistas Rady Gramane e Alcinda Panguane.

O reinício da preparação para o torneio olímpico vai acontecer depois de os atletas serem submetidos a uma segunda ronda de testes para a COVID-19.

A primeira série de testes foi realizada a 05 de junho e todas as análises deram resultado negativo para o novo coronavírus, acrescentou Penalva César.

"Nós estamos neste momento a coordenar com o Ministério da Saúde no sentido de os segundos testes terem lugar entre quinta e sexta-feira da próxima semana", adiantou César.

Depois dos resultados, o COM estará "em condições de autorizar que os atletas recomecem as atividades"

"Segunda-feira da semana seguinte é data indicada para que as atividades destes atletas comecem", frisou o diretor executivo do COM.

Penalva César assinalou que foram criadas as condições para que os atletas, treinadores e pessoal de apoio façam o seu trabalho em segurança face ao risco de contaminação pelo novo coronavírus.

"Nós temos estado a juntar todos os procedimentos e todos os requisitos para que o reinício dos treinos, de facto, aconteça com as condições criadas, algumas criadas pelas respetivas federações, outras criadas em conjunto, para que a atividade se desenvolva com a máxima segurança", enfatizou César.

O diretor executivo do COM referiu que as federações tiveram tempo para assegurar as condições de segurança face à COVID-19 logo que o Presidente da República, Filipe Nyusi, anunciou (a 28 de maio) que seria estudada uma data para o regresso aos treinos como exceção às restrições impostas no âmbito do estado de emergência.

Penalva César assegurou que serão observados os protocolos de segurança prescritos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde moçambicano nos recintos desportivos onde vão decorrer as atividades dos atletas.

Para os Jogos Olímpicos de Tóquio2020, Moçambique qualificou três velejadoras e duas pugilistas, mas o diretor executivo do COM deposita ainda esperanças em vólei de praia (pares), atletismo, natação, boxe, taekwondo e karaté.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.