O Quénia começou a vacinar os seus atletas olímpicos contra a COVID-19 na última quinta-feira, abrindo caminho a sua participação nos Jogos de Tóquio.

Todos os 75 atletas da bolha da equipa olímpica, no Estádio Kasarani, em Nairobi, foram vacinados na quinta-feira, num processo que também vai abranger as equipas paralímpicas, o râguebi de Sevens e a organização do 'Kenya Safari Rally'.

"É essencial que os atletas sejam vacinados contra a COVID-19. Estamos à espera que o confinamento termina para que os atletas possam competir em eventos de equipa", disse o secretário geral do Comité Olímpico Nacional do Quénia, Francis Mutuku, à Agence France-Presse.

O Quénia, uma potência mundial no atletismo, espera levar uma equipa de 100 atletas aos jogos de Tóquio, reagendados para 2021, entre 23 de julho e 8 de agosto.

O Quénia terminou em 15.º e como a melhor nação africana nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, com 13 medalhas: seis de ouro, seis de prata e um bronze.

Mukutu disse que todas as esperanças olímpicas terão de fazer parte do processo de vacinação, que abrange um total de 3.500 atletas, treinadores e oficiais por todo o país antes dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e do Safari rally, que será a sexta etapa do mundial de Ralis, marcado para 24-27 de junho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.