Nascida em Miyazaki, no Japão, Sky Brown é filha de uma britânica e de um japonês e, com apenas 13 anos e 28 dias, conquistou a medalha de bronze no skate park feminino e tornou-se a mais jovem medalhista britânica e uma das mais jovens medalhadas da história das Olimpíadas.

No entanto, quem vê o sorriso de Sky Brown no pódio, acompanhado de algumas lágrimas de emoção, não imagina a batalha que a jovem teve de passar para chegar a Tóquio este verão.

Um acidente em maio de 2020 deixou a jovem skater entre a vida e a morte e longe do sonho olímpico, mas o adiamento da prova para este ano permitiu-lhe recuperar a tempo de bater recordes.

Um acidente arrepiante

Quando, em 2016, o skate foi anunciado como uma das novas modalidades a estrear nos Jogos Olímpicos de 2020, Sky Brown pensou em várias formas para convencer os pais a deixá-la competir, mas não esperava que o percurso fosse tão tumultuoso.

Os pais Stuart e Mieko consideravam que seria demasiada pressão para a filha. Entretanto a equipa da Grã-Bretanha fez o convite, como a próprio revelou ao The Guardian. "Vem para a nossa equipa, sem pressão, vai lá [a Tóquio] e diverte-te", contou Sky.

Depois disto, a jovem Sky tanto implorou que conseguiu a autorização dos pais. Em 2019, com apenas dez anos, a skater conseguiu a qualificação para os Jogos Olímpicos ao vencer uma prova com o braço engessado depois o ter partido.

Agora sim, o sonho começava a ganhar forma. Mas, em maio de 2020, tudo mudou. Durante um treino, Sky Brown sofreu uma queda aparatosa e esteve entre a vida e a morte. A jovem, que se encontrava na Califórnia, foi transportada de helicóptero para o hospital, onde chegou inconsciente.

Na altura, o pai de Sky admitiu que a vida da filha estava em perigo depois de esta ter sofrido fraturas no crânio, no pulso e na mão. "Segurei-a nos meus braços e ela sangrava sem saber o que se passava, enquanto esperava que o helicóptero a levasse para o hospital. Passámos a noite aterrorizados por não saber se a Sky conseguiria sobreviver, enquanto a equipa dos cuidados intensivos tentava mantê-la viva", escreveu na altura Stuart Brown na sua conta de Instagram.

"Quatro dias depois, a Sky está sentada à minha frente com a memória de volta, sorridente, a ver o TikTok enquanto come os seus snacks favoritos", acrescentou, na altura.

Pouco depois, a própria Sky publicou um vídeo nas redes sociais, no qual garantiu que os Jogos Olímpicos de Tóquio continuavam a ser um objetivo.

"Não costumo postar nada sobre as minhas quedas ou falar sobre elas porque quero que as pessoas vejam a parte divertida naquilo que faço, mas esta foi a minha pior queda e só quero que todos saibam que estou bem", dizia a jovem.

"É normal cair às vezes. Vou apenas levantar-me e tentar com ainda mais força. Sei que há muita coisa a acontecer no mundo agora e quero que todos saibam que tudo o que fazemos, temos que fazer com amor e felicidade", acrescentou.

Já na legenda do vídeo, Sky prometia: "Esta foi a minha pior queda até agora. O capacete e o braço salvaram-me a vida. Isto não me vai parar. Eu vou lutar pela medalha de ouro em Tóquio 2021. Sejam fortes. Mantenham-se positivos."

O sonho tornado realidade

Um ano depois, Sky Brown não chegou à medalha de ouro, mas conseguiu a de bronze e tornou-se na mais jovem atleta britânica a chegar ao pódio. No final da prova, a jovem skater admitiu que o acidente a fortaleceu.

"Eu não sabia se realmente voltaria ao skate. Os meus pais diziam-me 'Não andes de skate, faz outra coisa'. Mas estou muito feliz por estar aqui. Sinceramente, sinto que o acidente me fortaleceu", disse a atleta de apenas 13 anos.

Num desporto estranhamente fechado, Brown revelou como o incentivo da medalha de ouro Yosozumi, uma amiga próxima, a ajudou a recuperar de duas quedas na final e a garantir o bronze.

"Sakura disse, 'É isso mesmo, Sky, eu sei que vais conseguir', e isso fez-me sentir melhor", disse Brown, que falhou duas vezes ao tentar um kickflip indy.

"Eu estava um pouco nervosa, mas estou feliz por estar aqui e, honestamente, eu só queria acertar no truque. No fundo, não me importava em que lugar acabava, só queria fazer o meu truque", revelou.

A forte rotina fez dela a mais jovem medalhista da Grã-Bretanha, superando a nadadora Sarah Hardcastle, que ganhou duas medalhas aos 15 anos em 1984.

O skate é um dos novos desportos que visa promover as Olimpíadas entre o público mais jovem, e o pódio era efetivamente jovem, sendo que as três medalhadas tinham uma idade combinada de 44 anos.

"Eu espero inspirar as outras raparigas. Se acreditarem em vocês mesmos, podem fazer qualquer coisa. Qualquer um pode andar de skate. Não precisam ter uma certa altura ou idade, podem fazer quando quiserem", rematou Sky Brown.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.