Luisa Kiala, que se despediu oficialmente da selecção nacional nesta final, recebeu a Taça de campeã de África das mãos do ministro dos desportos, Albino da Conceição. Esta situação criou certa confusão em quem acompanhava a cerimónia de premiação, já que a capitã é Natália Bernardo.

“Foi uma decisão concertada com a Natália. Ela pediu que eu fosse receber a taça e não ela como capitã. Foi uma espécie de homenagem do grupo pela minha despedida oficial depois de muitos anos ao serviço da selecção”, revelou a camisola 11 do combinado angolano.

Luísa, segunda de três irmãs andebolistas de eleição, disse que sai com o espírito de dever cumprido, pelos anos de serviço, em que “o patriotismo sempre este presente com ou sem condições de trabalho”.

Em jeito de recado para quem fica, esta irmã da sétima melhor jogadora do mundo em 2007 (Marcelina Kiala já retirada) sublinhou que “uma chamada à selecção nacional é motivo de orgulho para qualquer atleta”.

A jogadora universal de 34 anos de idade, formada no Petro de Luanda, onde fez quase todo percurso desportivo, veste agora a camisola do 1º de Agosto. Participou em quatro Jogos Olímpicos: Atenas (2004), Beijing (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro ( 2016).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.