O antigo andebolista internacional francês e atual presidente da Liga francesa de andebol, Bruno Martíni, foi acusado de “abuso de menor” e “gravação de pornografia infantil”, revelou hoje fonte do Ministério Público de Paris.

O ex-guarda-redes, de 52 anos, que estava sob investigação desde junho de 2020, após uma denúncia de um adolescente de 13 anos, foi detido na segunda-feira, acrescentou ainda uma fonte próxima do processo.

Bruno Martíni, de 1,93 metros, foi o guarda-redes de França nos primeiros títulos mundiais do país em andebol masculino, em 1995 e 2001, títulos que lançaram a supremacia gaulesa na modalidade, atualmente seis vezes campeã do mundo.

Em novembro do último ano, Martíni foi eleito presidente da Liga francesa de andebol, garantindo que o seu objetivo centrava-se na visibilidade e desenvolvimento económico, assente nos valores certos.

A investigação a Martini é a mais recente de uma série de escândalos no dirigismo desportivo francês, depois da condenação a dois anos de prisão com pena suspensa de Bernard Laporte, presidente da Federação de râguebi, acusado de corrupção, e da acusação de assédio moral e sexual a Noël Le Graët, presidente da Federação francesa de futebol, que foi obrigado a cessar funções.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.