Os clubes alemães consideraram hoje prioritária a continuidade da Liga alemã de andebol, defendendo um adiamento do Mundial, agendado entre 13 e 31 de janeiro de 2021, no Egito, face à pandemia de covid-19.

Os clubes reuniram hoje de emergência, depois de quatro jogadores alemães terem regressado dos jogos da seleção infetados pelo novo coronavírus, levando ao adiamento de cinco jogos do campeonato, no próximo fim de semana.

“Claro que discutimos uma eventual suspensão do campeonato, mas isso está fora de questão”, afirmou o ‘patrão’ do adversário do Sporting no Grupo B da Liga Europeia Füchse Berlim, Bob Hanning, acrescentando que as equipas “vão cumprir o calendário previsto, como o futebol”.

O encontro entre os clubes ocorreu depois de alguns terem sugerido que o campeonato fosse interrompido, devido a infeções em jogadores dos emblemas de Estugarda, Berlim, Minden e Melsungen.

Dependendo mais do que nunca dos direitos televisivos e dos patrocínios, devido à ausência de público, os clubes reiteraram a importância da continuidade da competição interna, mais até do que a luta por um novo título mundial pela seleção alemã, que já o conquistou por três vezes, a última das quais em 2007.

Além dos cinco jogos adiados da jornada do próximo fim de semana, outros três do fim de semana seguinte também já foram suspensos.

“Para a Bundesliga, renunciar ao Mundial seria a melhor solução”, frisou o responsável do Estugarda, Jürgen Schweikardt.

Frank von Behren, antigo andebolista internacional e atual dirigente do Minden, assumiu alguma dificuldade na organização da competição, à qual Portugal vai regressar 18 anos depois da última presença, que remonta a 2003, quando organizou o Mundial.

“Acho difícil imaginar a competição, no contexto atual”, referiu Von Behren, salientando que “chegou a altura de questionar, seriamente, as viagens internacionais”.

Portugal é uma das 32 equipas qualificadas para o Mundial de andebol de 2021, integrando o Grupo F, juntamente com Argélia, Marrocos e Islândia.

A seleção portuguesa garantiu a presença no Mundial ao beneficiar do sexto lugar alcançado no Europeu de 2020 e depois de a federação europeia ter anulado o ‘play-off’ previsto para julho, devido à pandemia de covid-19.

A Alemanha vai disputar o Grupo A, com Uruguai, Hungria e Cabo Verde, enquanto Angola, o outro representante lusófono, está no Grupo C, com Croácia, Japão e Qatar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.