O conselho de justiça da Federação de Andebol de Portugal (FAP) negou provimento ao recurso do FC Porto pelo indeferimento do protesto ao jogo com o Benfica, no qual perdeu a liderança da prova, anunciou hoje a FAP.

O FC Porto tinha recorrido em 30 de maio para o conselho de justiça da decisão do conselho técnico da FAP em ter indeferido, por unanimidade, o protesto interposto pelos 'dragões', considerando não existirem fundamentos, e confirmou a vitória do Benfica, por 28-27, na nona e penúltima jornada do campeonato, a primeira em que os ‘dragões’ não estiveram no comando da competição, perdido para o Sporting, que entretanmto se sagrou campeão nacional.

Os 'azuis e brancos' alegaram dois erros de arbitragem ocorridos nos derradeiros segundos do encontro da Luz, o primeiro dos quais um golo que entende mal anulado a Alexis Borges, na conclusão de uma situação de advertência de jogo passivo, que colocaria os portistas na frente por 27-28 - na resposta, o Benfica marcou e assim atingiu a vantagem final.

O outro lance decorreu após o tento 'encarnado' e os portistas reclamam uma não desqualificação e, acima de tudo, a não marcação de um livre de sete metros nos derradeiros segundos, após falta de Tiago Pereira sobre Rui Silva.

“Por acontecer nos últimos 30 segundos do jogo, e de acordo com as regras, essa falta deveria ter sido punida com expulsão e livre de sete metros. Seria, indiscutivelmente, uma oportunidade soberana para o FC Porto restabelecer o empate de que necessitava, de forma a depender apenas de si próprio para conquistar o campeonato”, justificam os ‘dragões’.

O Sporting acabou por conquistar o campeonato, depois de bater o Benfica na última jornada, tendo .

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.