O treinador de andebol do Sporting, o francês Thierry Anti, afirmou hoje que quer impor mudanças no estilo de jogo dos ‘leões’ e diz estar “entusiasmado” por treinar pela primeira vez fora do seu país natal.

No primeiro contacto com os jornalistas portugueses, num treino aberto promovido pelo Sporting, o treinador antecipou o que espera da época e o que pretende para a equipa leonina.

“Estou entusiasmado por estar aqui. A equipa não está completa, isso cria alguns problemas, temos algumas lesões, mas estou contente com o grupo que tenho para trabalhar”, começou por dizer, comentando que “o FC Porto é uma equipa muito forte e o Benfica um grande oponente”.

Quanto ao Sporting, desvendou o que pretende para a equipa que este ano procura reconquistar o título de campeão nacional perdido para os ‘dragões’.

“Podemos jogar andebol de várias maneiras, mas no fundo é sempre o mesmo jogo. Gosto que todos os jogadores joguem à defesa, mas não sejam passivos à espera do ataque, numa mistura de marcação à zona e homem a homem. Além disso, quero um ritmo de jogo elevado, mas sem bolas perdidas. Queremos jogar rápido, mas sem perder o controlo do jogo”, explicou o sucessor de Hugo Canela.

Quanto aos objetivos para a temporada que se avizinha, Thierry Anti quer que o Sporting “volte a fazer uma grande Liga dos Campeões” e revelou que no campeonato vai ainda procurar a melhor estratégia para um modelo de prova que desconhece.

“É um novo formato para mim, com fase regular e ‘play-off’. São muitos jogos na minha opinião. Em França, era impossível ter algo assim. Mas, dito isto, vamos preparar-nos”, frisou.

Depois de assumir que vai aproveitar todas as horas vagas para conhecer mais de Portugal e da sua cultura, o técnico francês frisou ainda que mais importante do que o modelo de jogo vai ser a ligação que quer estabelecer com o plantel.

“O mais importante é sempre a equipa e quero ter uma grande ligação com a equipa e com o clube. É um desporto de equipa e por isso temos de trabalhar juntos. Sozinhos não é possível conseguirmos algo, mas assumo que não falando em português é mais difícil conseguir essa ligação”, terminou.

Thierry Anti, de 60 anos, tem uma vasta experiência no andebol francês, onde orientou o US Créteil, o Paris Saint-Germain e o Nantes, contando já no currículo com uma Taça de França, uma Taça da Liga, uma Supertaça francesa e duas presenças nas finais da Liga dos Campeões e da Taça EHF.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.