As judocas portuguesas Bárbara Timo, vice-campeã mundial em título, e Rochele Nunes, medalha de bronze no último Europeu em Lisboa, ambas nascidas no Brasil, ambicionam medalhas olímpicas em Tóquio2020.

Em declarações hoje aos jornalistas, à margem do estágio das seleções nacionais de judo que decorre em Coimbra, Bárbara Timo, de 30 anos, cidadã portuguesa desde 2018 e atleta do Benfica, disse ter na sua ideia a conquista de uma medalha olímpica.

“A olímpica está na minha cabeça, tudo arrumadinho, à medalha em si – e até é um erro meu - não dou tanto valor, dou muito valor ao momento, à conquista, à superação”, afirmou.

Sobre as grandes competições de judo que se avizinham (o Mundial na Hungria, de 06 a 13 de junho e Tóquio2020, em julho e agosto, competição adiada um ano devido à pandemia de covid-19) Bárbara Timo disse lidar “bem com a pressão” dos grandes momentos.

“Quanto maior a prova, sai o melhor de mim”, frisou a judoca, que adiantou estar recuperada de lesões que a afetaram.

“Estou na minha melhor forma, só posso supor que vou ter melhores resultados”, notou.

Defender as cores nacionais “é um orgulho” para Bárbara Timo: “Portugal inspira-me, é um orgulho lutar pelo país, defender a bandeira e é uma honra que todos me recebam tão bem”, afiançou.

Bárbara, sempre de sorriso pronto, contou como tem sido o estágio da seleção nacional, nomeadamente os treinos intensivos.

“Há muito cansaço, muita dedicação e disciplina. Não é fácil, digo até que não é saudável, estamos no limite do nosso corpo, mas é o que tem de ser feito”, argumentou.

O cansaço também se transfere para as grandes competições, onde as judocas que ambicionam as melhores classificações chegam a fazer num dia “seis lutas com as melhores do mundo”.

“É um dia muito longo, das 09:00 às 21.00, é bem duro, ser atleta não é para qualquer um”, observou.

Também atleta do Benfica, Rochele Nunes, há três anos em Portugal, vê-se a cantar o hino nacional no pódio olímpico: “Vejo-me como campeã olímpica, porque sei do meu potencial e tenho trabalhado para isso”, afirmou.

Quanto ao Mundial de Budapeste, Rochele Nunes diz que as expectativas são “muito boas”, dado que a equipa nacional portuguesa “tem mostrado uma grande eficiência e consistência nas provas”.

“Sabemos que o nosso objetivo maior são os Jogos Olímpicos, mas [o Mundial] vai ser um ótimo teste, todos vão dar 100%”, assegurou.

“O Mundial vai estar muito forte, mas temos treinado muito forte também e vamos responder à altura. Sinto-me muito bem, muito confiante, confesso que estou muito cansada, (…) tenho-me dedicado 100% aos treinos. Espero que o resultado seja positivo”, disse Rochele Nunes.

Notando que a preparação “não é fácil”, a atleta que leva 22 anos de judo, cerca de 12 em alta competição, tem “tentado aproveitar ao máximo” o estágio da seleção nacional.

“Tenho estado feliz, o nosso ambiente é muito favorável, as meninas da equipa fazem toda a diferença, porque está sempre uma motivando a outra (…) as melhores opções que fiz na vida foi ter casado e mudado para Portugal”, declarou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.