João Ganço, antigo treinador de atletas como Nelson Évora, admitiu ter recebido na quinta-feira do Comité Olímpico de Portugal (COP) o prémio mais importante de todos, com a distinção da Ordem Olímpica Nacional.

"É uma grande honra. Este prémio representa o culminar de uma carreira construída com êxitos, muito esforço e muito sacrifício, mas valeu a pena. Sinceramente, esperava este prémio há algum tempo. Neste momento, pensava que já estava fora de tempo, mas ainda veio na altura adequada", afirmou João Ganço.

O antigo treinador do campeão olímpico em Pequim2008, mas também de Francis Obikwelu e Susana Costa, reconheceu tratar-se do "prémio mais importante de todos".

"Pensei que o receberia naquela altura em que o Nelson [Évora] foi campeão do mundo e campeão olímpico. Surgiu agora, foi bem-vindo", reconheceu, visivelmente emocionado.

Em contrapartida, o judoca Jorge Fonseca e a jogadora de ténis de mesa Fu Yu assumiram-se surpreendidos com a distinção da medalha de excelência desportiva.

"Não esperava receber este prémio, mas fico com muito orgulho e satisfação, porque este é o reconhecimento do trabalho que tenho realizado", afirmou Fu Yu, que conquistou a medalha de ouro no torneio feminino dos Jogos Europeus, assegurando a presença em Tóquio2020, repetindo a presença no Rio2016 (33.ª), e a medalha de prata por equipas no Europeu.

Nascida em Hebei, na China, reside desde 2001 em solo nacional, tendo obtido a nacionalidade lusa em 2013, quando se tornou na primeira portuguesa a alcançar uma medalha em Europeus, em Scwechat, na Áustria, a de bronze.

Jorge Fonseca, de 26 anos, foi o primeiro português a conquistar um título mundial em judo, ao vencer a categoria de -100 kg, e integrou a seleção portuguesa que conquistou a prata na competição por equipas nos Jogos Europeus, em Minsk.

"Foi um grande ano, é um orgulho receber este prémio, que não estava à espera, mas gostava de receber mais. Espero continuar em 2020, é para isso que estou a trabalhar", frisou o judoca natural de São Tomé e Príncipe.

Na gala Celebração Olímpica de 2019, em Lisboa, foi ainda distinguido o nadador olímpico em Tóquio1964 Bessone Basto, atleta internacional de polo aquático e andebol, tendo ainda praticado pesca submarina, râguebi, basquetebol, karaté, judo, ginástica, hóquei em patins, atletismo, pesca desportiva e ténis de mesa, com a medalha de mérito, pelos serviços relevantes prestados ao desporto nacional e ao olimpismo.

O Prémio Juventude foi novamente entregue à judoca Patrícia Sampaio (-78kg), tal como em 2018, após ter revalidado o título de campeã europeia, sido medalha de bronze nos Mundiais de juniores e quinta classificada nos de seniores, e ao triatleta Ricardo Batista, campeão do mundo de juniores e terceiro da Europa.

O antigo meio-fundista do Sporting Armando Aldegalega, porta-estandarte da missão portuguesa em Munique1972, recebeu o prémio ética desportiva e a Repsol recebeu o prémio prestígio do COP, pelo "exemplo de apoio empresarial ao desporto nacional".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.