João Vieira, do Sporting, conquistou hoje em Porto de Mós o sétimo título nacional dos 35 km marcha e o 61.º da carreira, mas aos 46 anos promete trabalhar para “ganhar ainda mais”.

Em Porto de Mós, no distrito de Leiria, o marchador nem tinha como objetivo vencer o campeonato, mas sim “fazer uma boa marca”.

“No meu entender e da minha treinadora [Vera Santos], conseguimos uma boa marca na luta para o Campeonato do Mundo”, que se realiza em agosto, na Hungria, resumindo: “Estamos satisfeitos”.

No início destes Nacionais, João Vieira sentiu “alguma falta de energia”, ressentindo-se da falta de concorrência.

“Os meus colegas não acompanham muito o meu andamento e isso faz-me falta. Tenho de competir no estrangeiro para ter colegas ao meu andamento. Andar sozinho é duro. Nos últimos 10 km, começou-se a levantar o vento e tornou-se mais difícil”, referiu.

Com larga vantagem para o segundo, João Vieira venceu o sétimo título nos 35 km e também os 20 km veteranos. “Já são 61 títulos na minha carreira. Mas vou continuar a trabalhar para conseguir mais objetivos e ganhar ainda mais”, prometeu.

Para isso, atleta e treinadora andam “a fazer experiências de sapatilhas e abastecimento”, de modo a “tentar atingir o mais alto rendimento possível”.

“Estamos no bom caminho”, acredita João Vieira, que hoje fez “a melhor marca em solo português” nos 35 km (02:36.32 horas), mas quer “ainda melhorar, sem dúvida”.

O marchador de 46 anos lembra a longa lista de títulos conquistados: “Já ganhei tudo o que tinha a ganhar. Mas quero ganhar ainda mais. Não ando aqui por andar. Temos objetivos muito altos. Se não andava aí como outros veteranos, apenas pelo prazer de marchar”.

Neste inverno, Vieira tem “andado a promover a marcha, a conversar com os jovens, a falar com treinadores e a transmitir experiências”.

Agora, depois do triunfo nos Nacionais, é tempo de assumir “objetivos mais altos”.

O próximo grande desafio é o Mundial de Budapeste, onde João Vieira quer “competir bem, terminar bem e ganhar novos andamentos”.

“É o meu 13.º Mundial, vou igualar o atleta com mais mundiais”, realça.

Depois, tentará integrar a equipa mista que Portugal quer levar aos Jogos Olímpicos Paris2024.

“É o objetivo. Eu e a minha treinadora vamos dar um passo atrás, para apostar nos 20 km e ganhar mais andamento e mais intensidade, a pensar nessa equipa e também nos 20 km”, concluiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.