O atleta português Carlos Nascimento, medalha de ouro nos 100 metros dos II Jogos Europeus, disse hoje que o seu êxito “era um objetivo realista”, embora reconheça a “estranheza” do modelo testado pelo atletismo em Minsk.

“Era um objetivo bastante realista. Nestas competições dependemos de outros fatores, não sabemos muito bem como vai ser o decurso natural das coisas. Vinha aqui tentar um bom resultado. Estou mesmo muito feliz”, disse o atleta.

O facto de a competição proporcionar aos participantes condições diferentes, tendo-o beneficiado pela vantagem de participar na última série e saber a marca que precisava de fazer foi assumido como um “esquema de prova um bocado estranho”.

“Tinha uma perceção daquilo que era preciso para ir pelo menos ao pódio. Eu sabia que a melhor marca até ao momento era 10,38 segundos, ir ao pódio era até 10,54. É um bocado mau porque nós não estamos a competir diretamente com aqueles que foram ao pódio”, reconheceu.

Carlos Nascimento, que só teve de correr uma vez, até poderia ter sabido do ouro no ‘sofá’, mas foi no estádio, já que Portugal competiu no último dos quatro grupos de seis equipas.

“É tudo um bocado novo, por assim dizer. É um sabor um bocado agridoce porque é uma medalha de ouro, mas o tempo já tenho melhor este ano. Acabei por ter um bocado de sorte por ir na última série. Dessa forma consegui perceber logo o que era preciso. Foi positivo para mim, para os outros acaba por ser negativo, mas faz parte”, concluiu.

Portugal tem neste momento seis medalhas: o ouro de Carlos Nascimento nos 100 metros, a prata das ginastas acrobatas Bárbara Sequeira, Francisca Maia e Francisca Sampaio Maia em combinado e no exercício dinâmico, além do bronze na prova de equilíbrio.

Conquistaram igualmente a medalha de bronze a judoca Telma Monteiro e a estafeta mista 4x400 metros, de Ricardo dos Santos, Cátia Azevedo, João Coelho e Rivinilda Mentai.

Em Baku2015, na estreia dos Jogos Europeus, Portugal amealhou três medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze, pecúlio que lhe valeu o 18.º lugar entre 50 países.

Nestes II Jogos Europeus, que reúnem 4.000 atletas de 50 países em 15 desportos, Portugal compete com 98 elementos em atletismo, badminton, futebol de praia, canoagem, ciclismo (estrada, contrarrelógio e pista), ginástica (artística, trampolins, aeróbica e acrobática), judo, karaté, lutas amadoras, tiro, tiro com arco, tiro com armas de caça e ténis de mesa.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.