O corta-mato é a grande prova do inverno do atletismo português, enfatizou hoje o presidente da Federação Portuguesa de Atletismo (FPA), Jorge Vieira, na apresentação da 100.ª edição do campeonato nacional de distância longa daquela disciplina, no Seixal.

O concelho da margem sul do Tejo recebe a competição no domingo, pela terceira vez nos últimos quatro anos, com uma homenagem a “grande parte dos campeões que ainda são vivos”, muitos dos quais são mais conhecidos pelas suas conquistas noutras disciplinas, apesar de terem brilhado nos trilhos.

“É uma disciplina com muita popularidade no mundo e que sempre foi encarada pelos treinadores portugueses como uma magnífica prova de preparação para as provas olímpicas que se realizam em pista. Portanto, é o grande campeonato do inverno”, disse Jorge Vieira à agência Lusa.

Por isso, explicou o líder federativo, entre “os melhores atletas de pista, quase todos participam no corta-mato”, uma vez que esta é uma prova que serve de “preparação para a época que se segue”.

“É a primeira prova do ano, a prova de preparação inicial, que não é só uma prova de preparação, porque tem também grandes eventos como Campeonatos do Mundo e da Europa. É sempre uma prova presente no calendário de todos os atletas. É a grande prova do inverno”, reforçou.

Também por esse motivo, campeões olímpicos como Carlos Lopes (10 títulos), Rosa Mota (oito) ou Fernanda Ribeiro (cinco) são também alguns dos maiores vencedores da história do campeonato nacional de corta-mato longo, que celebra no domingo 100 edições em 112 anos de história.

Os três “vão estar presentes” numa homenagem promovida pela FPA, confirmou Jorge Vieira, assim como outros antigos vencedores elencados no site do organismo, tais como Domingos Castro (cinco títulos), Paulo Guerra (cinco), Aurora Cunha (quatro), Albertina Dias (três) e Albertina Machado (dois), entre outros.

Presente estará também Manuela Simões, de 77 anos, “a primeira mulher a sagrar-se campeã nacional” de corta-mato, conquistando em 1967 o primeiro de quatro títulos, e que irá também correr uma curta distância e cortar simbolicamente a meta do percurso do campeonato nacional 2023/24, na Amora.

“Será uma mistura do presente, dos atletas atuais, com esses atletas do passado. Julgo que será uma fusão muito interessante de continuação e de tradição da modalidade”, comentou Jorge Vieira.

Presente estará também o ‘improvável’ campeão nacional de 2016, Nelson Cruz, único atleta no ativo que esteve presente na apresentação da 100.ª edição do campeonato nacional.

Numa edição disputada no Algarve, o atleta da margem sul do Tejo, a representar o Clube Pedro Pessoa, surpreendeu todos os favoritos e cortou a meta em primeiro lugar.

“Hoje é muito difícil voltar a acontecer uma surpresa, porque aquilo serviu de aprendizagem para muitos atletas e para as equipas. Apesar de haver atletas que podem tentar a sua sorte, é mais difícil, pois toda a gente está mais atenta e não deixam um atleta ir embora e ganhar a prova assim”, recordou.

A 100.ª edição do campeonato nacional de corta-mato longo realiza-se no domingo, na Quinta Maria Pires, na Amora, concelho do Seixal, onde são esperados mais de 2.000 atletas dos diferentes escalões em competição.

As provas dos escalões absolutos masculino (10 quilómetros) e feminino (oito quilómetros) têm o tiro de partida previsto para as 11:25 e as 12:20, respetivamente.

Samuel Barata e Mariana Machado defendem os títulos individuais, enquanto as equipas que representam, Benfica e Sporting de Braga, respetivamente, defendem os títulos coletivos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.