No Centro de Alto Rendimento do Jamor, em Oeiras, no decorrer de umas jornadas técnicas organizadas pela federação e pela associação de Lisboa, Olímpia Barbosa correu os 60 metros barreiras em 8,20 segundos (a marca de qualificação), praticamente numa corrida solitária, depois de ter corrido uma eliminatória em 8,24 (a terceira vez que conseguia esse resultado esta época).

"Depois de ter feito 8,24 segundos, vim para a final com o pensamento de 'seja o que Deus quiser'. Estava já consciente de que tinha feito uma época muito boa, com recorde pessoal e por isso estava a aceitar o que acontecesse", referiu, dando conta de algumas dificuldades no treino, pois a atleta terminou a recruta dos Sapadores Bombeiros, e isso influiu um pouco com a preparação necessária para atacar o objetivo dos Europeus.

"Agora, conseguida a qualificação, é estar lá, desfrutar e fazer o melhor possível", concluiu a atleta do Sporting, um pouco antes de ver o seu colega de equipa e de treino Rasul Dabo seguir-lhe o exemplo.

Rasul Dabo correu os 60 m barreiras em 7,77 segundos, terminando em segundo lugar, atrás do brasileiro João Vitor Oliveira (7,71), do Benfica.

No final a festa completa, com os dois atletas abraçados, e Rasul Dabo a dar conta do que lhe passava pela cabeça.

“Na primeira corrida, na segunda barreira, quase caímos, mas fomos até o fim e ele fez 7,89 e eu 8,02 segundos. Pensei aí que na última corrida daria para a qualificação. E assim foi. Consegui, nesta prova, numa época em que apostei bastante para tentar ir aos Europeus. Acreditei sempre no trabalho que estava a ser feito”, disse o atleta, afirmando ainda ter pouco mais de uma semana para corrigir uns pequenos erros antes de Glasgow.

No decorrer destas provas, houve atletas que ficaram perto da passagem para Glasgow. Nos 60 metros planos, Diogo Antunes, do Benfica, venceu em 6,73 segundos, ficando a um centésimo da qualificação, à frente dos colegas José Lopes (6,75) e Frederico Curvelo (6,76). Na mesma distância feminina, triunfo da brasileira Tamiris de Liz (Benfica) em 7,38 segundos.

O salto em comprimento foi ‘misto’, embora saltassem primeiro os homens. Triunfou o espanhol Jean Mai Okutu (7,81 m), com Ivo Tavares (Benfica) a ser segundo (7,70 m) e o seu colega de equipa Marcos Chuva a saltar 7,42 (quinto classificado).

Evelise Veiga (Sporting) voltou a saltar 6,40 metros, mas a qualificação (6,50) ficou distante, tal como no salto com vara, com Diogo Ferreira (Benfica) a saltar 5,30 metros e Marta Onofre (Sporting) a fazer 4,20.

Interessante a prova de triplo salto, com os sportinguistas Tiago Luís Pereira (16,13 metros) e Carlos Veiga (16,07) a perseguirem sem sucesso a qualificação (16,50 m) para os Europeus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.