O diretor técnico do atletismo do Sporting, Paulo Reis, considerou hoje que é tempo de “enterrar as polémicas” na modalidade, pedindo à Federação Portuguesa de Atletismo melhorias “nos procedimentos de inscrição de atletas estrangeiros”.

Em Leiria, onde Benfica e Sporting discutiram dentro - e também fora - de pista o título nacional masculino de clubes, que seria ganho pelos ‘encarnados’ depois das duas equipas terminarem com os mesmos pontos, Paulo Reis desvalorizou as polémicas que marcaram os campeonatos, “como os dois protestos e as questões das inscrições”.

“O campeonato acabou e toda a gente percebeu que a regra dos estrangeiros tem de mudar”, disse o responsável, admitindo que o Sporting aproveitou “uma abertura que houve para inscrever atletas ucranianos”, lembrando que o Benfica, por outro lado, explorou “uma falha em termos de análise regulamentar com a inscrição dos cubanos”, Reynier Mena e Roger Iribarne.

“Toda a gente percebeu que as regras dos estrangeiros têm de mudar. Para mim, é óbvio, e a federação penso que também já entendeu”, sublinhou.

No final dos campeonatos da I Divisão, Paulo Reis preferiu valorizar a prestação da equipa masculina dos ‘leões’.

“No ano passado, perdemos por 19 pontos. Este ano, empatámos, significa que temos uma melhoria bastante grande. Há uma grande parte do mérito que tenho de atribuir ao professor Carlos Silva, meu antecessor, que foi praticamente quem fez o plantel, à exceção dos ucranianos”, notou.

O comportamento da equipa sportinguista “deu para agitar um pouco as águas”. “Deu para perceber que estamos para lutar no futuro”, completou.

“Estamos aqui para construir um projeto para o futuro. Estes despiques equilibrados são bons para a modalidade, são bons para atrair gente ao estádio e quem veio aqui sofreu até ao fim, porque foi uma emoção enorme. Temos de ver mais além do que é o emblema e ver a modalidade, que vai ganhar com esta luta. Não ganhámos este ano, mas estamos aqui para ganhar e vamos ganhar um dia destes”, frisou.

Campeão sem oposição em femininos - “tentámos dignificar o campeonato, trazendo as melhores atletas” -, Paulo Reis admitiu estar “moderadamente feliz”, porque faltou “um pontinho a mais” para quebrar a hegemonia do Benfica em masculinos.

“Organizámo-nos e tentámos vir com a melhor estratégia possível. Depois da boa jornada de ontem [sábado], hoje houve uma outra prova que podia cair para o nosso lado e acabou por não cair; depois tivemos um momento menos conseguido de um atleta do Benfica [quinto lugar do favorito Gerson Baldé no salto em altura] que nos deu algum alento. Mas acabámos empatados”, recordou, resignado.

Além disso, “houve um momento dramático do Tiago [Luís Pereira], que se lesionou quando tinha de fazer mais de 16,62 no último [triplo] salto” para o Sporting ganhar.

“Isto foi quase um argumento de telenovela. Mas o Sporting está de parabéns”, resumiu o diretor técnico.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.