O queniano Kenneth Kiprop Renju, vencedor da Meia Maratona de Lisboa em 22 de maio, foi hoje suspenso por cinco anos por doping pela Unidade de Integridade de Atletismo (AIU).

Renju fora suspenso provisoriamente há três semanas e, hoje, a AIU publicou a decisão do castigo, em que já é descontado um ano por Renju ter reconhecido que efetivamente violou as regras antidopagem em vigor.

O atleta, de 26 anos, recorreu a uma substância proibida, metasterona, tendo tido três resultados positivos entre março e maio - os 10 km de Lille, a meia maratona de Praga e, finalmente, a ‘Meia' de Lisboa, onde já correu após ter sido notificado dos primeiros resultados positivos, o que foi uma circunstância agravante.

No entanto, por ter reconhecido a infração e ter aceitado o castigo, um ano é descontado à suspensão de seis, que passam para cinco.

Renju, que não era atleta de elite do seu país, vê serem anulados os resultados obtidos desde 20 de março deste ano, o que inclui a marca que conseguiu em Lisboa, em 22 maio, bem como o título de campeão queniano de 10.000 metros.

Os casos de suspensão por doping de atletas quenianos em 2022 são já mais de 20. Em 2016, o Quénia foi colocado na categoria A da lista de vigilância de conformidade da Agência Mundial Antidopagem (AMA).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.