Após um jogo de sofrimento, a equipa acabou por cair no prolongamento ante os polacos, líderes e vencedores do grupo H, e ceder o lugar na próxima fase aos romenos do Oradea, que também precisaram do prolongamento, mas levaram de vencida os húngaros do Szolnok (78-70).

Com este resultado, os ‘dragões’ ficam no terceiro posto da ‘poule’, com oito pontos, menos um do que o Oradea, e não seguem para a segunda fase de grupos, cujo arranque está marcado para 08 de dezembro.

Caso se apurassem, os portistas iam integrar o grupo K, onde já estão tanto o Sporting como o Benfica, o que garantiria, na prática, a passagem de pelo menos um emblema português aos quartos de final, dado que avançam os dois melhores de cada ‘poule’ de quatro.

O desafio de hoje, no Dragão Caixa, foi um de ‘sofrimento’ para a equipa de Moncho López, que entrou a perder 20-16 no primeiro período antes de equilibrar e aproximar-se no segundo.

De regresso do intervalo, o terceiro período aumentou em seis pontos a vantagem polaca, antes de um quarto e final do tempo regulamentar em que os lusos restringiram o adversário a apenas 11 pontos e fizeram 20, forçando tempo extra com um empate a 74.

Ao longo de todo o prolongamento, os ‘azuis e brancos’ foram lutando para se manter no jogo, mas vários erros quer no lançamento quer de base (um dos ataques terminou por passos), deitaram por terra quaisquer aspirações, colocando antes o Oradea no caminho dos dois rivais de Lisboa na próxima fase.

Na partida, o holandês Kloof esteve em destaque para os lusos, com 20 pontos, o máximo da partida, e ainda três assistências e um ressalto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.