Fez-se história no basquetebol português esta madrugada, com Neemias Queta a tornar-se no primeiro basquetebolista luso a chegar à NBA, depois de ter sido escolhido no Draf pelos californianos dos Sacramento Kings.

Três anos depois de trocar Portugal pelos EUA, o jovem de 22 anos cumpre o sonho de chegar ao melhor campeonato de basquetebol do mundo. “Mal posso esperar por ir para Sacramento. Vamos, Kings!”, escreveu o internacional luso, de 22 anos, na sua conta oficial na rede social Instagram. Mas quem é, afinal, Neemias Queta?

Os primeiros passos no basquetebol

Neemias Queta: “Quando dizia que queria chegar à NBA, houve pessoas que se riram na minha cara"
Neemias Queta: “Quando dizia que queria chegar à NBA, houve pessoas que se riram na minha cara"
Ver artigo

Filho de pais guineenses, nasceu há 22 anos em Lisboa, e cresceu no Vale da Amoreira, na Moita. Deu os primeiros passos no basquetebol no Barreirense, quando tinha dez anos, por influência de um professor da escola onde andava, depressa deu nas vistas pelas suas características físicas, ao longo dos escalões de formação.

Foi promovido à equipa principal do conjunto do Barreiro quando tinha 17 anos e não tardou a despertar o interesse do Benfica, que acabou por o contratar. Mas não ficou muito tempo na Luz. Depois de boas performances pela equipa B das 'águias', disputou quatro jogos pela equipa principal, o primeiro a 8 de outubro de 2017.

No final dessa época jogou-se o EuroBasket Sub-18 de 2017, onde Portugal esteve em bom plano e onde Queta se exibiu a um grande nível. De tal forma que teve a oportunidade de rumar aos Estados Unidos.

Neemis Queta com a camisola de Portugal
Neemis Queta com a camisola de Portugal

A ida para o basquetebol universitário norte-americano

André Martins: "Neemias Queta? Além de um grande jogador é um guerreiro"
André Martins: "Neemias Queta? Além de um grande jogador é um guerreiro"
Ver artigo

Seguiu, então, para a famosa NCAA (National Collegiate Athletic Association), o basquetebol universitário norte-americano, cumprindo um sonho de há muito, como depois admitiu. Foi em 2018 que aceitou o convite dos Utah State Aggies, da Divisão Mountain West, onde curiosamente alinhava já outro português, Diogo Brito.

O ano de estreia pelos Aggies foi em grande. O poste português ajudou a equipa a conquistar o título de campeã de conferência e fechou a época com 11,8 pontos, 2,4 desarmes de lançamento e 8,9 ressaltos de média por jogo. O seu nome começou a dar que falar e Queta declarou-se mesmo disponível para o Draft da NBA de 2019, mas acabou por desistir, optando por continuar no basquetebol universitário. Isto porque caso entrasse mesmo no Draft e não fosse selecionado, não poderia voltar a candidatar-se, como o fez, agora, com sucesso.

Fez, assim, mais uma época nos Utah State Aggies, e pelo voltou a dar nas vistas por Portugal, ajudando a seleção nacional de Sub-20 a sagrar-se campeã do Europeu B da categoria e sendo eleito para o cinco inicial do torneio.

Uma lesão a meio da época de 2019/20 afastou-o dos campos por alguns meses, mas tal não impediu que fosse eleito Jogador Defensivo do Ano da sua conferência na NCAA. Os seus números, nessa época, foram de 13 pontos, 1,7 desarmes de lançamento e 7,8 ressaltos por jogo. Uma vez mais, porém, Neemias Queta optou por abdicar do Draft e fazer uma terceira temporada nos Aggies.

Neemias Queta em ação pelos Utah State
Neemias Queta em ação pelos Utah State créditos: AFP

Terceiro ano de sonho na Utah State University e, enfim, o draft da NBA, rumo a Sacramento

E foi, como se percebe agora, a opção certa rumo à NBA. O conjunto de Utah realizou uma excelente temporada, chegando a somar 11 vitórias seguidas com Queta como grande líder da equipa, e os números do poste luso foram sendo ainda melhores do que nas épocas anteriores, ao ponto de se tornar no jogador com mais desarmes de lançamento na história daquela universidade e de ter feito vários jogos nos quais somou mais de 30 pontos. Exímio defense, chegou mesmo a somar nove desarmes de lançamento numa só partida. Terminou a temporada com as médias de 14,9 pontos, 3,3 desarmes de lançamento, 1,1 roubos de bola, 2,7 assistências e 10,1 ressaltos por jogos. Números que lhe valeram a eleição para o cinco ideal da conferência.

Foi, pois, com naturalidade que, no final de março, se declarou novamente para o Draft da NBA, desta vez sem voltar atrás na ideia. Foi convidado a treinar de forma individual nos chamados workouts com nove equipas da NBA e, uma delas, os Sacramento Kings (curiosamente, a equipa da cidade onde mais brilhou a portuguesa Ticha Penicheiro, que deu cartas na WNBA pelos Sacramento Monarchs) acabou por o escolher na segunda ronda do draft. Do Vale da Amoreira para a NBA. Agora só falta mesmo entrar em campo e marcar os primeiros pontos...

Neemias Queta
créditos: 2021 Getty Images

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.