O regresso da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), após uma paragem de mais de quatro meses ficou marcado por protestos contra o racismo, com jogadores e treinadores a cantarem o hino ajoelhados.

Jonathan Isaac, dos Orlando Magic, tornou-se no primeiro jogador dentro da NBA que não se ajoelhou para ouvir o hino nacional norte-americano, nem usou uma camisola do movimento "Black Lives Matter", antes do jogo frente aos Brooklyn Nets desta sexta-feira.

"Acredito no movimento. A minha decisão faz parte do meu pensamento de que ajoelhar-me com uma camisola do Black Lives Matter não vai de mão dada com o apoio das vidas dos afro-americanos. E senti que, apenas eu pessoalmente e naquilo que eu acredito, parado numa postura em que acredito que as vida afro-americanas importam. Mas senti que era uma decisão que tinha de tomar e não tinha vontade de pôr essa camisola. Foi para apoiar as vidas negras", explicou Isaac no final do jogo.

"Não acredito que ajoelhar-se ou vestir uma camisola, para mim, pessoalmente, seja a resposta", continuou.

Isaac explicou ainda que, antes do jogo, decidiu falar com os seus companheiros de equipa sobre o assunto: "Tivemos uma reunião de equipa. Disse-lhes que sabem quem sou como homem e como pessoa. Sabem no que acredito e respeitaram-me pela decisão."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.