Mike Brown será o treinador dos Sacramento Kings na Liga norte-americana de basquetebol (NBA) a partida da próxima época, anunciou hoje a equipa pela qual alinhou o português Neemias Queta na temporada de estreia.

Mike Brown, que substitui no cargo Alvin Gentry, está a desempenhar as funções de treinador assistente de Steve Kerr nos Golden State Warriors há seis épocas, tendo já conquistado dois títulos ao serviço da equipa.

Antes, Brown trabalhou como técnico principal nos Cleveland Cavaliers, entre 2005 e 2010, e nos Los Angeles Lakers em 2011/12, regressando aos ‘Cavs’ em 2013/14.

Em 2007, o treinador levou a equipa de Cleveland até à final da NBA e em 2008/09 foi nomeado treinador do ano, ao conseguir 66 vitórias na fase regular da temporada.

“O Mike tem vindo a demonstrar de forma consistente a sua capacidade para liderar equipas vencedoras ao longo da longa e bem-sucedida carreira de treinador. Trabalhou com alguns dos melhores jogadores da NBA e é um dos melhores a nível defensivo. Estou feliz por trazer a sua experiência para Sacramento”, afirmou Monte McNair, diretor geral dos Kings.

Apesar de os Kings não revelarem detalhes sobre o contrato, segundo a imprensa o novo técnico assinou um contrato de quatro temporadas.

O novo treinador vai ter uma palavra decisiva em relação ao futuro do poste Neemias Queta, que esta época se tornou o primeiro português a jogar na NBA, e à sua possível continuidade na equipa.

Queta, de 22 anos, foi eleito pelos Sacramento Kings no 39.º lugar do ‘draft’ e acabou por assinar um contrato de duas vias com a equipa, que lhe permitiu jogar pelos Sacramento Kings na NBA, mas também pelos Stockton Kings na ‘G-League’, a liga de desenvolvimento.

O poste português, tapado pela forte concorrência, apenas participou em 15 dos 82 jogos da época regular na NBA, num total de 119.34 minutos.

Em média, o poste luso, de 2,13 metros, cumpriu oito minutos por encontro, mas só esteve mais de uma dezena de minutos em campo em cinco jogos, quatro deles na parte final da temporada, com os Kings há muito arredados da luta pelos ‘play-offs’.

Com tão pouca utilização, os seus números não podiam ser impactantes, como não foram: para a história da época de estreia, ficam 45 pontos (média de 3,0 por jogo), 31 ressaltos (2,1), oito desarmes de lançamento (0,5) e seis assistências (0,4).

Em termos coletivos, os Kings voltaram a falhar os ‘play-offs’, o que acontece pela 16.ª época consecutiva – estiveram a última vez em 2005/06 -, ao ficarem no 12.º posto da Conferência Oeste, com 30 vitórias e 52 derrotas, imediatamente atrás dos dececionantes Los Angeles Lakers, de LeBron James.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.