Luís Filipe Vieira, que esta quinta-feira recebeu a equipa de basquetebol, campeã nacional, mostrou-se indignado com os incidentes ontem ocorridos no Dragão Caixa, «antes e após o jogo», em que a polícia e alguns adeptos do FC Porto entraram em confrontos. Além disso, o dirigente não poupou nas palavras.

«O que se passou é uma vergonha para o desporto, para o país e para as instituições desportivas. Só não é uma vergonha para quem não tem, nem nunca teve vergonha na cara», começou por dizer o líder encarnado.

«Ainda têm a lata de falar em apagões quando a sua história foi marcada por fruta, corrupção e compadrio. O seu sucesso é e foi construído com base na maior mentira do desporto português», acrescentou Luís Filipe Vieira sem nunca referiu o nome do rival.

A rivalidade entre SL Benfica e FC Porto tem vindo a aumentar nos últimos anos, com inúmeras acusações de parte a parte e alguns episódios de violência física e verbal entre adeptos e dirigentes.

A época desportiva ainda não acabou mas nem por isso o discurso do presidente do SL Benfica foi mais brando para com Jorge Nuno Pinto da Costa, líder do FC Porto.

«Na vida, como nos livros, um ladrão não deixa de ser ladrão por declamar poesia, ou por ir ao Papa. Um fugitivo da justiça não o deixa de ser apenas porque alguns juízes decidiram assobiar para o lado», atirou Luís Filipe Vieira.

O líder máximo do SL Benfica fui ainda buscar o caso do “Apito Dourado” para engrossar o role de acusações ao clube portista e deixou a garantia de que vai fazer tudo para «limpar» o desporto português.

«As nossas razões podem não chegar à UEFA, como não chegaram as escutas da fruta, como não chegaram para a justiça portuguesa as escutas do café com leite, mas nós não vamos parar enquanto não limparmos o desporto português», sentenciou Luís Filipe Vieira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.