A seleção cabo-verdiana de basquetebol, treinada pelo português Luís Magalhães, está com dificuldades financeiras para realizar um estágio em Portugal, antes da participação no Afrobasket, que acontece de 19 a 30 de agosto na Tunísia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Assembleia Geral da Federação Cabo-verdiana de Basquetebol (FCBB), Henry Gomes, avançou que o orçamento para a participação cabo-verdiana no campeonato africano de basquetebol é de cerca de 14 milhões de escudos (127 mil euros), mas neste momento a seleção não dispõe de todo esse valor.

"Infelizmente deveríamos ir a Portugal, mas por razões de ordem financeira, temos de equacionar ir até Dacar para lá participar num torneio internacional", salientou Henry Gomes, durante uma receção do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, à seleção de basquetebol, que está a treinar na Cidade da Praia.

O responsável reconhece que o estágio em seria “muito positivo e muito vantajoso”.

“Mas trabalhamos sempre com uma segunda opção, um plano B. Não vamos chorar sobre o leite derramado, infelizmente é a realidade do país que temos e vamos lutar com isso", prosseguiu o porta-voz.

Sem precisar quanto é que a seleção ainda precisa para realizar o estágio em Portugal, Henry Gomes indicou que os treinos estão a decorrer tranquilamente na Cidade da Praia, sob as ordens do português Luís Magalhães, que ainda não tem ordens para falar à imprensa.

Quanto aos jogadores, espera-se apenas a chegada do Jeff Xavier e o Ady Walter, o primeiro cabo-verdiano que assinou recentemente um contrato profissional com uma equipa da Liga Norte Americana de basquetebol (NBA), os Atlanta Hawks.

Questionado sobre os objetivos da seleção de Cabo Verde no Afrobasket, Henry Gomes disse que é ficar no pódio, entre os três primeiros, e se possível a qualificação para os Jogos Olímpicos do Brasil.

"Todas as outras seleções têm o mesmo objetivo, mas vamos lutar. Temos bons jogadores, uma equipa técnica dedicada que quer fazer alguma coisa e a federação está a tentar disponibilizar todas as condições para um bom trabalho, não obstante as dificuldades", finalizou.

Cabo Verde integra o Grupo D do Afrobasket, juntamente com a Costa do Marfim, Zimbábue e Argélia.

A melhor classificação de uma equipa cabo-verdiana na maior prova de seleções de basquetebol em África foi um terceiro lugar alcançado em 2007, em Angola.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.