O norte-americano Lance Armstrong, banido do ciclismo e desapossado das suas sete vitórias na Volta a França por prática de doping, regressa às estadas francesas na quinta-feira, para uma ação de beneficência.

Na quinta-feira, Armstrong vai pedalar entre Muret e Rodez e, na sexta-feira, vai ligar Rodez a Mende, cumprindo os percursos das duas etapas da Volta a França um dia antes dos corredores da 102.ª edição 'Tour', em benefício de uma associação de caridade que luta contra a leucemia.

Em Venerque, localidade situada cerca de 30 quilómetros a sul de Toulouse e onde será dada a partida real da 13.ª etapa da Volta a França, Armstrong junta-se à operação 'Le Tour, One Day Ahead' (Le Tour, Um Dia Antes), em favor da 'Cure Leukemia'.

Esta associação luta contra a leucemia por iniciativa de Geoff Thomas, um antigo futebolista internacional inglês, de 50 anos, que venceu a doença e que, juntamente com 10 outros ciclistas amadores (oito homens e duas mulheres), está a fazer uma volta a França completa, cumprindo o mesmo percurso do pelotão profissional, mas com um dia de antecedência.

Lance Armstrong, que enfrentou o cancro, junta-se assim à iniciativa e volta a pedalar em França depois de em 2012 ter sido punido por prática sistemática de doping, o que lhe valeu a perda da maioria dos seus resultados, nomeadamente as sete vitórias no 'Tour' (1999-2005). Em 2013, o texano confessou a utilização regular de produtos dopantes.

O objetivo, no início da operação, era recolher cerca de 1,4 milhões de euros, através de donativos e patrocínios. Na terça-feira, a soma já atingia os 840.000 euros, segundo um membro da associação citado pela AFP.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.