O ‘Grand Départ’ da 112.ª Volta a França em bicicleta privilegiará os sprinters. A novidade foi divulgada esta quinta-feira na apresentação das três etapas inaugurais da edição de 2025, que arrancará em Lille.

Há duas semanas que se sabia que o Tour 2025 iria começar em Lille, mas agora a organização da prova francesa desvendou o percurso das três primeiras etapas, com a jornada inaugural a ser favorável aos ciclistas mais rápidos do pelotão.

“Será a primeira vez após uma meia dúzia de anos que um sprinter poderá vestir a primeira camisola amarela”, evidenciou o diretor da Volta a França, Christian Prudhomme.

Depois de nos últimos anos a organização da ‘Grande Boucle’ ter dado primazia a tiradas acidentadas no arranque da prova, na 112.ª edição a primeira etapa, agendada para 05 de julho de 2025, será uma ‘volta’ essencialmente plana de 185 quilómetros em redor de Lille.

No entanto, será logo na segunda jornada que os ‘puncheurs’ terão a sua oportunidade, nos 209 quilómetros entre Lauwin-Planque e Boulogne-sur-Mer, uma vez que os derradeiros 10 quilómetros incluem duas dificuldades: as subidas a Saint-Etienne-au-Mont (900 metros, com uma pendente média de inclinação de 11%) e a Outreau (800 metros a 8,8%).

Nessa segunda etapa, os favoritos já terão de estar atentos num final que, segundo Christian Prudhomme, será “absolutamente formidável”.

A terceira etapa, por sua vez, ligará Valenciennes a Dunquerque, no total de 172 quilómetros, sendo expectável nova chegada ao sprint.

A edição de 2025 marcará o regresso do ‘Grand Départ’ a França, após três arranques ‘internacionais’: Copenhaga (2022), Bilbau (2023) e Florença (2024).

A última vez que a Volta a França começou em território ‘nacional’ foi em 2021, em Brest, cidade portuária na Bretanha, mas é preciso recuar a 2001, a Dunquerque, para encontrar o norte como local do ‘Grand Départ’.

“Não poderíamos regressar a França em locais que não amassem visceralmente o ciclismo e o Tour. Era preciso regressar a um local que respira, que sente a emoção. É um local que respira ciclismo”, defendeu Prudhomme.

O percurso destas três primeiras etapas evitará, contudo, o lendário empedrado de Paris-Roubaix, atravessado pelo pelotão da ‘Grande Boucle’ em 2010, 2014 e 2018 e na última passagem do Tour pelo norte de França, em 2022.

Hoje, foi também anunciado que a quarta etapa partirá de Amiens rumo a um destino ainda não desvendado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.