O britânico Chris Froome, camisola amarela da Volta a França em bicicleta, mostrou-se hoje surpreso pela ausência de ataques dos seus adversários na 15.ª etapa.

“Surpreende-me que não haja mais ataques. Era um bom dia para que os meus rivais tomassem medidas [para tentar roubar-lhe a liderança da geral], sobretudo depois de o Geraint Thomas ter ficado para trás com um furo. Talvez fosse a oportunidade deles, já que a etapa era complicada”, defendeu o líder da Sky.

O único que conseguiu distanciar-se na parte final da 15.ª etapa foi o francês Romain Bardet (AG2R), sexto da geral, mas a tentativa foi prontamente anulada pelos homens da formação britânica.

“Alcançámo-lo sem entrar em pânico. Só estávamos cerca de uma dúzia no grupo dos favoritos, o que demonstra que a tirada hoje foi dura”, analisou.

O duplo vencedor do Tour deixou ainda críticas aos seus adversários, considerando que a maioria dos corredores conformam-se com a manutenção dos seus lugares na geral individual.

Já o seu compatriota Adam Yates, terceiro na classificação a 02.45 minutos, confessou que, apesar de se ter sentido bem, não estava no pico da forma.

“Quando os ciclistas da Astana assumiram o grupo, a corrida acelerou muito. Já foi bom conseguir seguir o ritmo, tal como aconteceu quando o Bardet atacou. Foi muito duro”, assumiu o jovem da Orica-BikeExchange.

Para o líder da juventude a explicação para a ausência de ataques à amarela de Froome é simples: “Assim que há um ataque, [o ciclista] ganha uns segundos e começa a ser apanhado. Talvez seja preciso atacar de longe ou integrar a fuga, porque a Sky parece intocável”.

Também Eusebio Unzue, diretor desportivo da Movistar de Nairo Quintana e Alejandro Valverde, assumiu que ainda anda à procura de uma aberta para isolar a Sky.

Chris Froome concluiu a montanhosa tirada, que ligou Bourg-en-Bresse a Culoz, no total de 159 quilómetros, com dupla passagem no Grand Colombier, lado a lado com os ciclistas que o sucedem na geral, pelo que manteve 01.47 minutos de vantagem sobre o holandês Bauke Mollema (Trek-Segafredo), 02.45 sobre Yates e 02.59 sobre Quintana, seu vice nas edições de 2013 e 2015.

A 15.ª etapa foi ganha pelo colombiano Jarlinson Pantano (IAM Cycling), que se estreou-se hoje a vencer na Volta a França.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.