A holandesa Anna van der Breggen sagrou-se hoje campeã mundial de contrarrelógio, no primeiro dia dos Mundiais de ciclismo de estrada em Imola, Itália, marcados pela queda da norte-americana Chloe Dygert.

A campeã europeia de ‘crono’, e recente vencedora da Volta a Itália, dominou a prova de 31,7 quilómetros ao terminar com um tempo de 40.20 minutos, 15 segundos a menos do que a suíça Marlen Reusser, em segundo, e 31 para a terceira, a campeã do mundo em 2013 Ellen van Dijk (Países Baixos).

Para van der Breggen, campeã olímpica de fundo em 2016, é um primeiro título na especialidade, depois de vários segundos lugares, incluindo nos últimos três campeonatos do mundo, a que se junta um título mundial de fundo em 2018, numa carreira que, aos 30 anos, agrega todos os principais títulos do ciclismo feminino.

"Depois de tantos segundos lugares, isto é verdadeiramente fantástico", declarou a holandesa, após saber que tinha ganhado, depois de ter estado "toda a prova a andar o mais rápido possível" e de ter pedido para não lhe dizerem nenhuns tempos intermédios.

Uma incrédula van der Breggen disse ainda que vai tirar a noite para "descansar um bocado" antes de voltar para se focar na prova de estrada, no sábado, num "bom percurso e uma boa equipa dos Países Baixos".

Dygert, que defendia a vitória de 2019, era a principal favorita e, no primeiro ponto intermédio, estava a bater a concorrência por larga margem, com 27 segundos para Reusser e 36 para a futura campeã, mas uma aparatosa queda, por choque com um ‘rail’ de proteção rodoviária, acabou por fazê-la abandonar.

O acidente levou-a a sair da estrada, por cima do ‘rail', com a Federação de ciclismo norte-americano a explicitar, na rede social Twitter, que a ciclista "está consciente e a falar", não dando informações, para já, sobre possíveis lesões.

O ‘top-10’ da prova teve poucas surpresas, com a ‘veterana’ norte-americana Amber Neben, de 45 anos, a conseguir o 100.º ‘top-10’ em contrarrelógios da carreira, com o sexto lugar, à frente da jovem dinamarquesa Emma Cecilie Norsgaard, que registou o sétimo melhor tempo.

Na sexta-feira, é a vez do pelotão masculino enfrentar a mesma distância, com Nelson Oliveira e Ivo Oliveira a representarem Portugal na especialidade.

No sábado, corre-se a prova de fundo feminina, com 143 quilómetros disputados em circuito, antes dos masculinos, no domingo, fecharem os Mundiais com 258,2 quilómetros, em que Portugal estará representado por Rui Costa, campeão do mundo em 2013, Rúben Guerreiro, Nelson Oliveira e Ivo Oliveira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.