O ‘sprinter’ britânico Mark Cavendish, ciclista da equipa Bahrain, reclamou este domingo ter “subido o Evereste”, após percorrer um desnível positivo de 8.848 metros, durante o período em que esteve em confinamento, devido à pandemia de COVID-19.

“Acabo de subir o Evereste com [o compatriota] Luke Rowe. A ideia surgiu quando nos apercebemos que os tempos que se seguiriam seriam maus”, escreveu Cavendish nas redes sociais, depois de completar a tarefa num ‘sistema de rolos’, aparelho em que é adaptada a bicicleta.

O ciclista britânico, de 34 anos, que durante a carreira venceu 30 etapas na Volta a França, deixou os dados técnicos da proeza: “8.848 metros acima do nível do mar em uma única subida, 211 quilómetros, 10:37.32 horas. Tiro o chapéu a quem ultrapassou este desafio”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 243 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

O Reino Unido, com 28.131 mortos e mais de 182 mil casos de covid-19, segundo os dados mais recentes, é um dos países mais afetados do mundo, apenas superado em número de mortes pelos Estados Unidos e por Itália.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.