O conjunto basco, que integra o World Tour, mais alto escalão do ciclismo profissional, informou em comunicado que deu início a «um encerramento ordenado e responsável» com a imediata concessão da carta de desvinculação aos corredores com contrato para as próximas temporadas.

A Euskaltel-Euskadi, que este ano contratou pela primeira vez corredores não bascos, vai concluir a temporada normalmente e no próximo sábado alinha à partida da Volta a Espanha, com os seus três principais ciclistas: Samuel Sánchez, Igor Antón e Mikel Nieve.

A equipa tem um orçamento de nove milhões de euros, dos quais sete suportados pela Euskaltel, que duplicou a sua contribuição depois de o governo basco e as províncias da Biscaia e de Guipúscoa terem retirado os seus apoios devido à crise económica, mas a empresa telefónica já anunciou que não poderá manter o patrocínio.

A equipa basca é a mais antiga equipa do ciclismo profissional ao mais alto nível, com 17 épocas consecutivas de atividade. Na sua ausência, a Movistar, à qual ainda está vinculado o português Rui Costa, será a única formação espanhola no World Tour.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.