A Jumbo-Visma abandonou hoje a Volta a Itália em bicicleta para prevenir possíveis contágios, resultantes do contacto próximo com o holandês Steven Kruijswijk, diagnosticado com covid-19.

“É muito dececionante, porque fizemos tudo o que era possível para prevenir o contágio. A equipa estava bem e a trabalhar para conseguir um bom resultado. No entanto, a saúde é mais importante e foi por isso que tomámos esta decisão”, afirmou o diretor-geral da equipa holandesa, Richard Plugge.

A Jumbo-Visma anunciou o abandono da corrida a cerca de meia hora do início da 10.ª etapa do Giro, tomando uma decisão idêntica à Mitchelton-Scott, que teve quatro elementos do ‘staff’ infetados pelo novo coronavírus, depois de ter ficado desfalcada do britânico Simon Yates, no sábado.

“Assumimos a nossa responsabilidade após o contágio do Steven. Todos estivemos muito perto dele. Observando o que se passou Mitchelton-Scott, na qual vários elementos da equipa ficaram infetados depois de um corredor ter contraído o vírus, pensamos ter tomado a decisão mais responsável”, frisou o diretor desportivo da Jumbo-Visma, Addy Engels.

Em declarações reproduzidas pela equipa holandesa, o responsável assegura que o abandono resultou de uma “decisão conjunta de corredores, ‘staff’ e direção”.

“É uma grande responsabilidade deixar uma corrida, especialmente uma corrida como a Volta a Itália. Mas também tomámos a decisão para o interesse da corrida. Acho que foi a decisão mais segura, não só para a equipa, mas também para as outras”, acrescentou Engels.

Além destas duas equipas, também o ‘sprinter’ Michael Matthews, vencedor da classificação por pontos no Tour de 2017, abandonou a corrida, depois de ter sido diagnosticado com covid-19, confirmou a Sunweb, acrescentando que o australiano está a assintomático e a cumprir isolamento.

Na segunda-feira, primeiro dia de descanso do Giro, foram feitos 571 testes à covid-19, tendo sido detetados casos de infeção também noutros dois elementos das estruturas das equipas, um da AG2R La Mondiale e outro na INEOS.

O pelotão da corrida italiana, que termina no dia 25, em Milão, enfrentou hoje a 10.ª etapa, entre Lanciano e Tortoreto, após um dia de descanso que se seguiu ao triunfo de Ruben Guerreiro (Education First), na etapa de domingo.

O eslovaco Peter Sagan (BORA-hansgrohe) venceu isolado a tirada, enquanto João Almeida (Deceuninck-QuickStep) foi terceiro, a 23 segundos, aumentando para 34 segundos a vantagem na liderança da classificação geral sobre o holandês Wilco Kelderman (Sunweb).

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.