O ciclista português Rúben Guerreiro vai estrear-se na Volta a Itália em bicicleta pela equipa norte-americana Education First, na 103.ª edição que no sábado vai para a estrada em Palermo.

"Sinto-me mesmo bem de fazer uma grande Volta num ano tão difícil, especialmente o Giro, onde grande parte do país sofreu com a pandemia de covid-19. Temos uma equipa forte e um grupo muito bom", explicou o corredor português, citado pela equipa em comunicado.

Para o ciclista de 26 anos, em ano de estreia na equipa norte-americana, esta será a segunda grande Volta da carreira, depois de em 2019 ter estado em bom plano na Volta a Espanha, com o 17.º lugar na geral final.

Este ano, além de ter representado Portugal nos Mundiais de Imola, que teve de abandonar, o melhor resultado veio na Volta à Lombardia, com um 17.º lugar, num ano de pouco andamento também devido à pandemia.

Antes da ‘corsa rosa’, na qual vai encontrar o também português João Almeida (Deceuninck-Quick Step), correu o Tirreno-Adriático, no qual foi segundo na sétima etapa, com o madeirense a enfrentar o Giro ao lado de três australianos, Simon Clarke, Jimmy Whelan e Lachlan Morton, de dois norte-americanos, Lawson Craddock e Sean Bennett, do equatoriano Jonathan Caicedo e do estónio Tanel Kangert.

"Esta é uma equipa dedicada ao ataque, um grupo que vai ter de explorar e procurar oportunidades dia após dia", considerou o diretor desportivo, Fabrizio Guidi.

A 103.ª edição da Volta a Itália em bicicleta arranca no sábado, com um contrarrelógio em Palermo, terminando em 25 de outubro em Milão, em novo ‘crono', ao cabo de 21 etapas e um total de 3.497,9 quilómetros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.