O português Ruben Guerreiro (Education First) assumiu hoje o objetivo de "ganhar uma etapa" na 103.ª edição da Volta a Itália em bicicleta, que arranca no sábado, na sua estreia no Giro.

Depois do 17.º lugar final na Volta a Espanha de 2019, então com a Katusha-Alpecin, na sua estreia em grandes Voltas, Guerreiro, de 26 anos, mudou-se para a Education First, que aposta em oito ‘flechas' apontadas a vitórias em etapas.

"As sensações são boas e tenho alguma liberdade na equipa. Se houver mais disponibilidade física, tentarei aproveitar um pouquinho na geral, mas sem pensar muito nisso", admite à Lusa.

Ainda assim, este foi o plano, no geral, para a Vuelta de 2019, na qual o madeirense, de 26 anos, ficou várias vezes próximo de vencer uma etapa e acabou por terminar nos 20 melhores.

"Essa é a minha forma de correr, e a equipa dá-me liberdade. A condição também é boa e vou tentar vencer uma etapa", reforça.

Além das boas pernas, há algumas oportunidades, sobretudo com "subidas de cinco, 10 ou 15 quilómetros", durante as duas primeiras semanas, que admite enquadrarem-se com as suas capacidades.

"Vou tentar aproveitar antes de chegar a última semana, que é realmente muito difícil", confessa.

Guerreiro esteve nos Mundiais de Imola por Portugal, mas abandonou, e tem como melhor resultado esta época, marcada pela pandemia de covid-19, um 17.º lugar na Volta à Lombardia, que chegou depois de correr o Tirreno-Adriático, conhecida ‘antecâmara' do Giro, no qual foi segundo na sétima etapa.

"No Tirreno, estive a trabalhar para a equipa nos primeiros dias, mas no fim mostrei que estava bem, e corridas como a Lombardia foram um pouco de preparação", comenta.

Pela frente, o grande objetivo para a época, e já o era quando estava inicialmente marcada para maio, num contexto pandémico em que "não vai ser nada como antes", mas no qual espera que as pessoas "respeitem na estrada" e possam "vibrar" pela televisão, por prometer "um grande espetáculo, com muitos bons corredores, além do próprio percurso".

A 103.ª edição da Volta a Itália em bicicleta arranca no sábado, com um contrarrelógio em Palermo, terminando em 25 de outubro em Milão, em novo ‘crono', ao cabo de 21 etapas e um total de 3.497,9 quilómetros.

Além de Ruben Guerreiro, também João Almeida vai marcar presença na prova, ao serviço da belga Deceuninck-Quick Step, compondo o duo de portugueses entre os inscritos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.