Ivo Oliveira (UAE Emirates) impôs-se hoje na luta pelo título nacional de contrarrelógio, ao vencer a corrida de elites, em Paredes, onde decorrem os Nacionais de ciclismo de estrada.

O corredor natural de Vila Nova de Gaia, que já tinha sido campeão nacional de ‘crono’ em sub-23, em 2018, sucedeu a José Gonçalves, campeão em 2019, que também participou nesta edição, mas não foi além do sétimo melhor tempo.

Ivo Oliveira, de apenas 23 anos, precisou de 23.45 minutos para cumprir o trajeto de 18,1 quilómetros, que teve partida na zona industrial de Gandra e chegada no Kartódromo de Baltar, numa zona vedada à presença do público, devido às contingências da pandemia de covid-19.

"O contrarrelógio é algo que me fascina imenso. Tenho vindo a trabalhá-lo desde o tempo da quarentena. Tive uma lesão na recente Volta a Polónia, e pensei que não ia render tanto nesta prova, mas correu-me melhor do que eu pensava. Tive um daqueles dias que acontece poucas vezes no ano, em que tudo corre bem", disse Ivo Oliveira.

O segundo melhor tempo dia, nesta vertente de elite, pertenceu ao experiente Rui Costa, também da UAE Emirates, que gastou mais nove segundos do que o jovem companheiro de equipa, sendo o pódio fechado por Tiago Machado, que terminou a 13 segundos do grande vencedor do dia.

Na vertente sub-23, o protagonista desta ronda inaugural dos Nacionais foi Guilherme Mota (Kelly/InOutBuild/Oliveirense), que bateu a concorrência ao percorrer o trajeto em 24.58 minutos.

O jovem corredor de Leiria, de 20 anos, sucede no título a João Almeida, que este ano não esteve presente nos campeonatos, e dá sequência aos triunfos nacionais que já tinha conquistado na categoria de júnior.

"Depois de uma quarentena bastante dura, não entrei com queria na competição, na Prova de Reabertura, mas foquei-me neste crono dos nacionais e deu resultado todo o trabalho que fiz. Estou muito orgulhoso por esta conquista logo no meu segundo ano de sub-23, e perante tantos ciclista de qualidade que estavam a disputar o título", disse Guilherme Mota.

No pódio do dia deste escalão de sub-23, Daniel Dias (Sicasal/CM Torres Vedras), conseguiu o segundo melhor tempo, gastando mais 15 segundos do que o vencedor, enquanto Pedro Andrade (Hagens Berman Axeon) conquistou o terceiro lugar, ficando a 23 segundos de Guilherme Mota.

Também hoje se disputou o Nacional de contrarrelógio em paraciclismo, que consagrou, nas diferentes categorias, Bernardo Vieira, Telmo Pinão, Paulo Teixeira, João Monteiro, Manuel Ferreira, João Marques, João Pinto, Flávio Pacheco, Luís Costa e Filomena Oliveira.

No sábado, às 14:30, os corredores sub-23 vão regressar à estrada, em Paredes, onde vão disputar o título de fundo, num percurso, em circuito, de 138,2 quilómetros.

O pelotão de elite volta a competir no domingo, a partir das 11:00, no mesmo trajeto, mas alargado para 164,8 quilómetros, com um acumulado de subida de 3.480 metros.

O atual campeão José Mendes (W52-FC Porto) vai defender a camisola que já tinha envergado a camisola em 2016 frente a rivais como Rui Costa, campeão em 2015, Joni Brandão, vencedor do título em 2013, e os também ‘dragões’ Amaro Antunes e João Rodrigues, detentor da Volta a Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.