A quinta etapa, 145,8 quilómetros entre Beaugency e Levroux, foi animada por uma fuga, anulada bem perto da meta, e na luta pelo melhor lugar no final, a vitória foi para o britânico Matthew Gibson.

Logo com 10 quilómetros de etapa, o esloveno Ziga Horvat e o polaco Filip Maciejuk isolaram-se e chegaram a ter quase seis minutos de vantagem. O pelotão reagiu bem, mesmo com uma queda coletiva nos derradeiros 20 quilómetros, e anulou a fuga a três quilómetros da meta.

O britânico Matthew Gibson foi o mais veloz no 'sprint' final, creditado em 3:10.59 horas, seguido pelo polaco Szymon Sajnok e pelo luxemburguês Colin Heiderscheid.

Com o mesmo tempo entraram Rui Oliveira, Ivo Oliveira (50.º) e João Almeida (55.º), os três lusos que se conseguiram manter no primeiro grupo. Marcelo Salvador (73.º) e Tiago Antunes (96.º) perderam 14 segundos, enquanto que André Ramalho (118.º) atrasou-se 55 segundos.

Na geral, o francês Alain Riou continua de amarelo, com 1.29 de vantagem sobre os dinamarqueses Andreas Stokbro e Mikkel Bjerg.

Rui Oliveira subiu quase 20 lugares, para 44.º (a 2.32). Seguem-se João Almeida (53.º, a 2.37), Tiago Antunes (66.º, a 2.51), Ivo Oliveira (84.º a 3.22), André Ramalho (90.º, a 3.43) e Marcelo Salvador (93.º, a 3.59).

A sexta etapa, a disputar nesta quarta-feira, terá 181,1 quilómetros e inicia-se em Le Blanc para terminar em Cérilly. O percurso é de altos e baixos, mas pode ser ainda oportunidade para os 'sprinters'. A partir da sétima etapa, o pelotão entra nos Alpes e os trepadores terão o protagonismo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.