A tirada, de 181,1 quilómetros, entre Le Blanc e Cérilly, acabou por ser ganha pelo italiano Alessandro Covi, o melhor de uma fuga de nove unidades, cuja vantagem se foi esfumando até aos cinco segundos na meta final.

A Dinamarca - que tem Andreas Stokbro e Mikkel Bjerg em segundo e terceiro da geral, atrás do líder André Riou (França) - apostou forte nesta etapa, a última antes das jornadas alpinas, mas sem sucesso. Colocou três unidades na fuga, mas falhou os lugares de pódio.

Atrás de Covi entraram o irlandês Mark Downey e o francês Simon Guglielmi, também eles sobreviventes da fuga.

Em 10.º, Rui Oliveira continua a fazer o pleno de posições de ‘top-10’, com a exceção do 'crono' por equipas.

Tiago Antunes, 64.º, João Almeida, 75.º, Marcelo Salvador, 95.º, e André Ramalho, 108.º, também chegaram no pelotão principal, a cinco segundos do vencedor. Ivo Oliveira foi o 129.º a cortar a meta, a 8.00 minutos.

Riou continua em posse da camisola amarela, dispondo de 1.29 de vantagem sobre os dois dinamarqueses, e Rui Oliveira voltou a subir na geral, sendo agora o 42.º, a 2.32.

Na representação nacional seguem-se João Almeida, 50.º a 2.37, Tiago Antunes, 63.º a 2.51, André Ramalho, 85.º a 3.43, Marcelo Salvador, 88.º a 3.59, e Ivo Oliveira, 114.º a 11.17.

Rui Oliveira continua no segundo lugar na classificação por pontos e a seleção lusa mantém o 14.º posto na geral coletiva.

A etapa de quinta-feira é a primeira das quatro tiradas alpinas. Os corredores vão cumprir 35,4 quilómetros, entre Moûtiers e Méribel, uma curta etapa em que o acumulado de subida será de 1.494 metros e a meta coincide com uma montanha de primeira categoria. À dureza da tirada junta-se uma neutralização de mais de 400 quilómetros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.