O canadiano Ryder Hesjedal, da Garmin-Sharp, venceu hoje a 14.ª etapa da Volta a Espanha em bicicleta, em que o britânico Chris Froome (Sky) conseguiu recuperar algum atraso para a camisola vermelha.

A difícil 14.ª etapa - primeira de três de alta montanha -, com 201 quilómetros entre Santander e La Camperona, teve dois planos de luta intensa, com os fugitivos ainda resistentes a lutarem pela vitória do dia, enquanto e os favoritos à vitória final se controlavam mutuamente, mais atrás.

Depois de já passada a subida de Hoz, de segunda, e San Glorio, de primeira, tudo se decidiu na ascensão para La Camperona, a coincidir com a meta e com inclinação média de 7,5 %, com rampas a atingir 19,5 %.

Para esses oito quilómetros finais, o suíço Oliver Zaugg, da Tinkoff-Saxo, entrou com avanço aparentemente confortável, só que não chegou para a fabulosa reserva de energia de Hesjedal, que passou por ele como uma flecha na última centena de metros, ganhando com confortáveis 10 segundos de avanço, em 5:18.10 horas.

Os nove primeiros do dia foram ciclistas que andavam em fuga, aparecendo depois na meta o grupo dos melhores da Vuelta, com o espanhol Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) a defender a liderança dos ataques dos rivais.

Contador preferiu não esperar pelas jogadas dos outros e ele próprio lançou ataque, a um quilómetro do fim. O seu compatriota Joaquim Rodriguez (Katusha) e o italiano Fabio Aru (Astana) foram os primeiros a responder.

Não reagiram prontamente o espanhol Alejandro Valverde (Movistar) nem Froome. Só que o britânico, fazendo uma parte final de trás para a frente, reentrou na luta e conseguiu na meta ganhar sete segundos a Contador, depois de excecionais 500 metros finais.

Ao invés, Valverde limita-se a gerir as perdas, cedendo 22 segundos para o líder da Vuelta - quase tanto como o atraso que tinha no início do dia.

O colombiano Rigoberto Uran (Omega Pharma), que era terceiro no arranque da etapa, foi 18.º e deixou de fazer parte do pódio virtual.

Quando se avizinham mais duas etapas de alta montanha, Contador lidera com 42 segundos sobre Valverde e 1.13 sobre Froome, que se reposicionou como candidato. Rodriguez está a 1.29, Uran a 2.07 e Aru a 2.15.

Sérgio Paulinho (Tinkoff-Saxo) esteve hoje na fase inicial da fuga do dia, de 23 unidades (entre os quais Hesjedal e Zaugg), logo ao quilómetro 40. Numa fase mais adiantada da corrida, já no pelotão, foi um dos que "rebocaram" o grupo, no trabalho da equipa em defesa do seu líder.

Chegaria em 101.º, a 16.35 de Hesjedal, enquanto o outro português em prova, André Cardoso, foi 39.º, a 5.43.

Na geral Cardoso está em 25.º (desce dois lugares), a 15.46, e Paulinho é o 72.º (desce 10), a 1:08.10.

No domingo corre-se a 15.ª etapa, entre Oviedo e Lagos de Covadonga (152 km). A subida final, uma das mais emblemáticas da Vuelta (12,2 km a 7,2 %) coincide com contagem de montanha de categoria especial.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.