O ciclista irlandês Sam Bennett (BORA-hansgrohe) ‘bisou’ hoje ao ‘sprint’ na Volta a Espanha, ao vencer a terceira etapa, a última nos Países Baixos, com o italiano Edoardo Affini (Jumbo-Visma) como novo líder da geral.

Numa longa e praticamente plana etapa, com partida e chegada em Breda (193,5 quilómetros), Bennett somou o segundo triunfo consecutivo, ao vencer em 4:05.53 horas, à frente do dinamarquês Mads Pedersen (Trek-Segafredo) e do britânico Daniel McLay (Arkéa Samsic), segundo e terceiro, respetivamente.

Affini é o terceiro camisola vermelha da prova e o terceiro da Jumbo-Visma, liderando com o mesmo tempo do neerlandês Sam Oomen e o esloveno Primoz Roglic, vencedor das três últimas edições, ambos da equipa dos Países Baixos.

Falhada a ambição de corooar o terceiro neerlandês diferente em três dias pela equipa ‘da casa’, a Jumbo-Visma não colocou Oomen na ‘roja’ mas antes Affini, o especialista em contrarrelógio, que entra no primeiro dia de descanso na frente.

Quanto ao ‘sprint’ pela vitória em etapa, este voltou a ter um nome muito pouco cotado antes do arranque, na sexta-feira: a má temporada de Bennett deixava-o longe das ‘apostas’ de adeptos e entusiastas, em favor de outros nomes, mas até aqui ainda só ‘deu’ para este ganhar.

Já vencedor de etapas também na Volta a Itália e na Volta a França, entre mais de cinco centenas de triunfos na carreira profissional, o irlandês passava uma temporada menos boa no regresso à equipa alemã, depois de sair da QuickStep.

Uma vitória na Eschborn-Frankfurt era a única conseguida em 2022, mas sábado venceu Pedersen ao ‘sprint’ e hoje voltou a fazer a mesma coisa, com o dinamarquês de novo segundo.

Num dia sem grande história, com o traçado plano e o dia de descanso, para a transferência do pelotão para Espanha, já no horizonte, a história de superação do irlandês toma destaque, também por ser apenas o segundo do seu país a atingir 10 vitórias em etapas de ‘grandes Voltas’, cinco na Vuelta, depois de Sean Kelly, que soma 21, 16 delas em Espanha.

O líder dos pontos apelidou este ‘bis’, de forma consecutiva, de “incrível”, deixando-o “muito feliz” após novo “trabalho perfeito dos colegas de equipa”, quer ao protegê-lo ao longo do dia quer a mantê-lo bem posicionado nos últimos quilómetros.

“É muito bonito ganhar duas etapas seguidas. Mads Pedersen está muito perto [na tabela dos pontos] e num bom momento. Tudo pode acontecer”, descreveu.

Os três portugueses em prova chegaram integrados no pelotão, com o mesmo tempo do vencedor, e João Almeida é agora o mais bem posicionado, no 27.º posto, a 33 segundos, o mesmo tempo de Ivo Oliveira, seu colega na UAE Emirates, em 29.º. Nelson Oliveira (Movistar) é 56.º, a 43 segundos.

Na segunda-feira, os ciclistas têm o primeiro dia de descanso, com o pelotão a deixar os Países Baixos e entrar em Espanha, com a quarta etapa a ligar Vitória a Laguardia, num percurso de 152,5 quilómetros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.