O diretor geral da UAE Emirates quer que a equipa dos portugueses Rui Costa, Rui e Ivo Oliveira seja a melhor do mundo “em dois ou três anos”, pretendendo que os seus ciclistas sejam protagonistas em 2020.

“No plano desportivo, queremos ser, não sei se num ano, em dois ou em três, num tempo prudente, a melhor equipa do mundo. É difícil e temos de respeitar os rivais. A INEOS leva muito tempo [de trabalho] e é uma grande estrutura, e a Jumbo-Visma está a crescer em passos gigantes. Sabemos que é complicado, mas também temos de ter objetivos importantes para os tentarmos conseguir”, disse Josean Fernández Matxin, diretor geral da equipa.

Em declarações ao portal especializado Biciciclismo, Matxin diz que esta temporada quer que os seus ciclistas sejam “protagonistas”.

“Não nos fixamos numa corrida em concreto, temos um plantel grande, de 30 corredores, e partilhámos ambições entre todos e queremos ser competitivos em todas as corridas em que vamos participar”, disse.

Com a temporada perto de recomeçar após uma longa pausa causada pela covid-19, Matxín considera que a nova normalidade “é o menos mau”, agradecendo o esforço de União Ciclista Internacional (UCI), equipas e organizadores para o regresso da competição.

Em relação à Volta a França, Matxín apontou o italiano Fabio Aru, vencedor da Volta à Espanha em 2015, secundado pelo esloveno Tadej Pogacar, terceiro na Vuelta em 2019.

“Aru será o líder principal, porque é o que tem mais experiência, enquanto Pogacar chegará com o objetivo de aprender, sem pressão e com a ideia de ver onde pode chegar”, disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.