O diretor da Volta a Portugal em bicicleta anteviu hoje um «grande jogo da glória» para a 75.ª edição e reconheceu que estão já a ser feitas abordagens para permitir o regresso de Algarve, Alentejo e nordeste transmontano.

«Na perspetiva do organizador, este grande jogo da glória que é a Volta a Portugal, com casas muito difíceis de ultrapassar, irá permitir aos corredores uma ferramenta que a transforme mais uma vez num grande espetáculo», disse Joaquim Gomes, à margem da apresentação das “Bodas de Diamante” da mais importante prova velocipédica nacional.

Joaquim Gomes apontou a Senhora de Graça, que irá marcar o final da primeira semana, como o primeiro momento difícil, reconhecendo que será a trilogia da Serra da Estrela a tarefa mais complicada para os ciclistas.

«Vai haver uma presença forte da Serra da Estrela, com um contrarrelógio também muito exigente a fechar este ciclo, a ligar o Sabugal à Guarda. É essencialmente aqui que os protagonistas da 75.ª edição da Volta terão oportunidade de proporcionar um grande espetáculo», referiu, garantindo que foi com grande paixão que se entregou à construção do percurso.

Com a ausência de David Blanco, cinco vezes vencedor da Volta, o diretor considera que a prova, orçamentada em quatro milhões de euros, está muito aberta.

«Há corredores, nomeadamente corredores portugueses, que nos habituaram a bons desempenhos nos últimos anos. Os nomes são conhecidos: o Hugo Sabido, o Hernani Brôco e outros nomes que vão estar presentes e que certamente estarão à espreita de uma oportunidade», completou.
Joaquim Gomes confessou ainda que já estão a ser feitas abordagens a municípios de regiões do país que não têm estado presentes na maior prova do ciclismo nacional.

«Espero que tenham o devido sucesso para que o Algarve, o Alentejo e o nordeste transmontano possam regressar ao convívio da Volta», concluiu.

Apontado por Gomes como um dos favoritos, Hernani Brôco assume estar preparado para o desafio, depois de ter estado um ano no estrangeiro.

«Pertencendo à equipa da Efapel-Glassdrive só podia estar preparado, uma vez que o nosso objetivo é vencer a Volta a Portugal. Estou no bloco de nove ciclistas, poderei ser um deles, mas agora cabe ao diretor desportivo decidir em qual irá apostar», destacou, indicando que ainda não sabe quem será o líder da formação para a prova que decorre entre 7 e 18 de agosto.

Brôco mostrou-se muito satisfeito com o percurso, uma vez que já fez algumas das etapas nas duas participações anteriores.

«O contrarrelógio agrada-me bastante, assim como as etapas da Torre, da senhora da Graça e outras etapas que são bastante seletivas. Encaixam bem nas minhas características», assumiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.