O ‘sprinter’ italiano Elia Viviani conquistou o título europeu de ciclismo de estrada, sucedendo ao compatriota Matteo Trentin, ao bater ao ‘sprint’ os seus companheiros de fuga, o belga Yves Lampaert e o alemão Pascal Ackermann.

Viviani, que tinha conquistado a medalha de prata nos Europeus de 2017, concluiu os 172,6 quilómetros em 3:30.52 horas, menos um segundo do que Lampaert, seu companheiro de equipa na Deceuninck-Quick Step, e menos oito do que Ackermann, que descolou da dupla da frente nos últimos três quilómetros.

O primeiro grupo, encabeçado pelo norueguês Alexander Kristoff, campeão em 2017, e que integrava Trentin, chegou 33 segundos depois do vencedor, que vai correr em 2020 pela Cofidis.

Rui Oliveira chegou um segundo depois, no 16.º posto, enquanto César Martingil desistiu, após ter tido um furo, que o obrigou a um esforço acrescido para regressar ao segundo grupo.

“Dei tudo o que tinha, numa corrida muito difícil, pois foi necessário lutar toda a prova pela colocação. Estou satisfeito com o meu desempenho e com o resultado, porque sem colegas de equipa para ajudar, tenho noção de que não era possível fazer melhor, num pelotão desta qualidade”, afirmou Rui Oliveira, citado pela Federação Portuguesa de Ciclismo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.