O italiano Riccardo Stacchiotti (Mstina-Focus) superou hoje o calor para vencer a primeira etapa da Volta a Portugal em bicicleta, com Rafael Reis a manter a amarela no corpo.

A primeira ligação em linha da 80.ª edição da Volta, entre Alcácer do Sal e Albufeira (191,8 quilómetros), foi corrida sob altíssimas temperaturas – durante o percurso os termómetros chegaram a marcar 44 graus –, o que justifica a baixa média de 36,566 km/hora.

Na chegada ao Algarve, que não tinha uma meta há 10 anos, Stacchiotti foi o mais rápido na Avenida das Descobertas, em Albufeira, e venceu em 5:14.43 horas, à frente dos portugueses Luís Mendonça (Aviludo-Louletano) e César Martingil (LA-Alumínios).

“Não esperava [vencer], porque ontem [quarta-feira] as pernas não estavam muito bem. Mas hoje comecei para conseguir um bom resultado, mas não a vitória. No final, senti-me bem e tentei fazer um bom ‘sprint’ e cheguei à vitória. Estou muito, muito feliz”, disse, no final, o italiano.

Apesar da “etapa muito, muito quente”, Stacchiotti somou o segundo triunfo em menos duas semanas em Portugal, depois de ter vencido em Aljustrel a quarta etapa do Grande Prémio Nacional 2.

Na frente da corrida, quase tudo se manteve na mesma, com Rafael Reis a manter dois segundos de avanço sobre César Martingil (Liberty Seguros-Carglass) e agora três sobre Daniel Mestre (Efapel), que subiu a terceiro.

Contudo, nem tudo foi bom para a Caja Rural, que perdeu o chefe de fila, o também português Joaquim Silva, que abandonou.

“Conseguimos manter a camisola amarela, o que foi um trabalho difícil da equipa. Foi um dia complicado, com muito calor. Foi o primeiro dia do ano que está assim, não nos conseguimos habituar logo assim. Amanhã [sexta-feira], temos mais um dia bastante complicado, vamos ver como corre”, assumiu.

A história da etapa começou bem antes da chegada a Albufeira, com o primeiro grande herói da Volta a ser o alemão Mario Vogt (Sapura), que andou isolado desde os 55 quilómetros, quando deixou para trás o israelita Guy Niv (Israel Cycling Academy).

O alemão chegou a ter 4.40 minutos de vantagem sobre um pelotão que rolou tranquilo até cerca de 50 quilómetros do final, quando David Ribeiro (LA-Alumínios) arrancou do pelotão, originando vários contra-ataques, que levaram à constituição de um grupo de 10 ciclistas, que apanharam Vogt depois de mais de 100 quilómetros a ‘solo’.

O australiano Jesse Ewart (Sapura), o português Rui Rodrigues (Aviludo-Louletano) e o italiano Pierpaolo Ficara (Amore & Vita-Prodir) foram os derradeiros resistentes, mas acabaram por ser absorvidos pelo pelotão à entrada dos últimos dois quilómetros.

Na sexta-feira, a segunda tirada, a mais longa da 80.ª edição, vai ligar Beja a Portalegre, na extensão de 203,6 quilómetros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.