O esloveno Primoz Roglic teve hoje uma 'quebra' na parte final da subida do Angliru, mas conseguiu limitar as perdas, só cedendo dez segundos para o equatoriano Richard Carapaz, novo camisola vermelha da Volta a Espanha em bicicleta.

O alto do Angliru, 'descoberto' para a Vuelta há pouco mais de duás décadas, antevia-se como terreno de luta entre Roglic (Jumbo-Visma), por um lado, e Carapaz (Ineos), por outro, sempre em controlo mútuo desde que a prova começou - e assim foi, mais uma vez.

A 12.ª etapa deixa tudo em aberto ainda para a última semana na questão do triunfo final, mas mostrou que Roglic está menos forte do que na primeira semana, enquanto que o equatoriano prossegue pendular, sem mostrar sinais de poder fraquejar.

Agora, há um dia de descanso e logo a seguir um contrarrelógio de 30 quiómetros, que podem ser decisivos para a forma como os dois grandes favoritos encaram os dias que faltam.

Mas há mais gente à espreita dos melhores lugares no pódio, como o inglês Hugh Carthy (Education First), o vencedor do dia e que sobe a terceiro, a 32 segundos, depois de ultrapassar por pouco o irlandês Dan Martin (Israel Start-Up Nation).

Parece agora quase certo que o vencedor final será um desses quatro, já que o quinto, Enric Mas, o jovem chefe de fila da Movistar, está a quase dois minutos.

A grande surpresa pela positiva é Carthy, de 26 anos, e ainda sem historial de relevo em grandes voltas, quer seja pela classificação geral ou por vencer etapas.

Uma bela estreia como vencedor, logo num terreno difícil como o Angliru, que tem rampas duríssimas, que 'obrigam' os ciclistas a esforços redobrados para progredir, montanha acima.

Carthy gastou 3:08.40 horas para os 109,4 quilómetros entre Pola de Laviana e o Angliru, onde chegou 16 segundos antes do russo Aleksandr Vlasov (Astana) e de Mas, hoje francamente ao ataque, mas sem os resultados que precisava.

Mais atrás, Carapaz e Martin tudo faziam para 'cavar o fosso' para Roglic, que ia sendo rebocado pelo seu colega de equipa Sepp Kuss.

Os cinco portugueses em prova voltaram a somar muitos minutos de atraso, com Nelson Oliveira (Movistar) a ser o melhor de entre eles, em 47.º, a 16.10.

Rui Costa (UAE-Team Emirates), 79º, e Ricardo Vilela (Burgos), 81.º, perderam quase meia hora. A mais de 33 minutos, em 127º e 128º, entraram os outros dois ciclistas da UAE-Team Emirates, Ivo Oliveira e Rui Oliveira.

Nelson Oliveira sobe um lugar na classificação geral - é 46º, a 1:24.53 horas. Segue agora como melhor luso na lista, já que passou Rui Costa, que desce para 52.º, a 1:34.47.

A mais de duas horas, Vilela está em 92º, enquanto que Ivo Oliveira segue em 125º e Rui Oliveira em 135º.

Na segunda-feira, o pelotão da Vuelta cumpre o segundo dia de descanso desta edição, o último antes da chegada a Madrid, em 08 de novembro.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.