O presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, José Luís Santos, disse sexta-feira que quer elevar Boa Vista a um alto patamar desportivo e criar condições para tornar a ilha na capital nacional de Beach Soccer.

O edil fez estas declarações no final da formação de Beach Soccer (futebol de praia) que terminou este sábado na ilha da Boa Vista com 36 técnicos de desporto, de dez municípios, capacitados nesta modalidade.

Segundo o autarca, esta é uma das visões estratégicas que tem para Boa Vista a nível do desporto de forma a potenciar as condições naturais que a ilha tem para desenvolver a modalidade.

Descentralizar os campos relvados na cidade para povoados para dar aos jovens de outras localidades oportunidade para se desenvolverem na modalidade do futebol é outra visão anunciada pelo edil durante o encerramento dessa formação.

“A nossa estratégia é aproveitar as excelentes condições de praia para tornar a ilha o principalmente pólo de beach Soccer em Cabo Verde”, disse o edil que acrescentou que quer ainda juntar outras modalidades ligadas ao mar com a chegada de botes e velas para instalar na ilha uma escola desta modalidade náutica em parceria com as Canárias.

José Luís Santos lamentou a fraca presença feminina na formação mas espera que as poucas que estiveram presentes possam transmitir, nas suas comunidades, as valências que aprenderam de forma a massificar a modalidade e sensibilizar outras mulheres para a prática do futebol de praia.

A representante dos formandos, Wilza Vieira, disse que agora terá a responsabilidade de apelar às mulheres a aderirem ao futebol de praia, pois, em seu entender, Boa Vista tem mulheres capazes de ajudar a ilha a crescer mais no que diz respeito ao desporto.

Já Paulo Semedo, árbitro de Santo Antão, considera que agora Cabo Verde esta mais bem servido em termos de futebol de praia e que os técnicos desportivos de todas as ilhas estão agora mais capacitados para desenvolverem um melhor trabalho do que vem sendo feito até agora nesta modalidade.

“Quando cheguei tinha as minhas expectativas muito altas porque nunca tinha vindo fazer uma formação fora de Portugal. Era a minha primeira experiência que queria abraçar e posso dizer que saio daqui apaixonado porque levo em cada um de vocês um amigo”, disse o disse treinador-adjunto da selecção portuguesa de ‘beach soccer’, Luís Birro, acrescentando que “isso é a coisa mais valiosa”.

Luís Birro mostrou-se disponível para colaborar com a Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), com Boa Vista e Cabo Verde naquilo que for necessário para a evolução do futebol de Praia, no país.

O outro formador, António Cardoso, que é responsável pela arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol vê como “chave de ouro” a sua passagem pela ilha de Boa Vista.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.