O Campeonato do Mundo de futebol de praia, que decorre até domingo em Espinho, tem já a maior taxa percentual de ocupação de sempre, revelou hoje a FIFA.

Segundo um relatório apresentado pelo organismo que tutela a modalidade, a presente edição do campeonato tem, até ao momento, uma taxa de ocupação que ronda os 91%, contabilizando já 12 jogos com lotação esgotada, ou seja, cerca de 3.500 espetadores.

Para Pedro Dias, diretor de futsal e de futebol de praia da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), "estes valores são surpreendentes e bastante animadores".

"Os eventos que temos realizado têm tido uma participação do público bastante interessante. No ano passado, realizámos aqui em Espinho o Mundialito, que foi uma espécie de prova teste, e teve uma excelente participação", começou por explicar Pedro Dias.

O diretor da FPF referiu ainda: "Por esse motivo, tínhamos uma expetativa interessante, mas o que tem acontecido está a exceder o que imaginávamos. A taxa média de ocupação ronda os 91%. E isso é algo que nos enche de orgulho."

Na base da explicação deste fenómeno estão, segundo Pedro Dias, vários fatores.

"Naturalmente que a adesão do público está relacionada com o interesse na modalidade. Um interesse que sempre existiu, mas que agora tem assumido outros contornos. Esse interesse cresceu. Isso, associado a espetáculos de qualidade e associado aos bons resultados, dá origem à moldura humana que temos assistido nos jogos do mundial", finalizou.

O Mundial de futebol de praia realiza-se até ao próximo domingo na Praia da Baía, em Espinho, estando as meias-finais agendadas para sábado, com os encontros Portugal-Rússia e Itália-Taiti.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.