O pivô André Galvão, do Viseu 2001, e o ala Pauleta, do Fundão, assumiram no domingo a vontade de se afirmarem na seleção portuguesa de futsal, em Rio Maior, na concentração para os jogos particulares com a Ucrânia.

“Não estava à espera desta convocatória. Passaram mais de seis anos desde os dois jogos que realizei na seleção. Não estava à espera de voltar porque estive fora do futebol português muito tempo. Já não estava adaptado e ainda um pouco longe da forma em que apresentei quando estava no Sporting ou no Fundão. Claro que fiquei muito contente com esta chamada e espero poder ser útil ao grupo”, afirmou André Galvão, citado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

A equipa das ‘quinas’, campeã europeia, vai cumprir um estágio tendo em vista a realização de dois jogos particulares com a Ucrânia, na terça e na quarta-feira, também na cidade ribatejana.

Já Pauleta estreou-se entre os eleitos de Jorge Braz, prometendo empenhar-se para justificar a chamada.

“Não estava à espera desta convocatória e foi uma surpresa para mim. Penso que esta chamada se deve ao trabalho que desenvolvi na seleção sub-21 e no meu clube. Estou aqui para ajudar no que for preciso e quero aproveitar este momento para poder evoluir ao máximo”, frisou o ala do Fundão.

Além de Pauleta, também Tiaguinho, do Sporting de Braga, pode estrear-se na seleção lusa, que conta ainda com o regresso de Cardinal, que não joga pela equipa das ‘quinas’ desde 07 de dezembro de 2016, e do já referido André Galvão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.