O treinador André Lima recordou à agência Lusa o dia 25 de abril de 2010 como “um dos dias mais importantes da carreira”, quando levou o Benfica à vitória na UEFA Futsal Cup, em Lisboa.

“Com certeza que foi um dos dias mais importantes da minha carreira e da de todos os jogadores do Benfica, da secção e do próprio clube, porque estamos a falar de um campeonato da Europa, ainda por cima num pavilhão tão emblemático como é o Meo Arena. Foi fantástico. Acho que foi um dos pontos mais altos, se não o mais alto, do futsal português”, afirmou André Lima à agência Lusa.

O atual treinador dos chineses do Guangzhou Lixun destacou a vitória frente aos espanhóis do Interviu Madrid, por 3-2, na final, sem esquecer a importância do primeiro encontro, porque “para se ganhar a ‘final four’ tem de se ganhar dois jogos”.

“Eu lembro-me muito da meia-final, porque foi jogada contra os italianos [Luparense] e os italianos eram uma grande equipa. Eram quase a equipa toda da seleção italiana, com muitos brasileiros naturalizados, e sabíamos que aquela meia-final ia ser muito difícil e conseguimos fazer um grande jogo [vitória por 8-4]. Acho que foi o melhor jogo que fizemos nos dois anos em que fui treinador. Foi um jogo fantástico, em que não demos qualquer hipótese. Foi quase perfeito”, sublinhou.´

Vencida a meia-final, foi ‘só’ disputar e ganhar a “final de sonho”.

“Depois com o ambiente que foi criado à volta da final no dia seguinte, contra a melhor equipa do mundo. Ainda hoje não vejo nenhuma equipa que fosse tão boa como era a equipa do Interviu em 2010 e nos anos anteriores. Foi sempre a equipa que nos tirou o sonho de ser campeões. E nós fomos campeões na final que eu chamo uma final de sonho. Contra a melhor equipa do mundo, contra a que nos tirava o sonho, num pavilhão completamente cheio de benfiquistas e pessoas que gostam de futsal. Acho que a sensação foram os adeptos que a criaram à volta do próprio jogo. A melhor sensação que se pode ter é essa”, frisou.

Antevendo a terceira ‘final four’ da principal competição europeia de clubes em Portugal, André Lima diz acreditar que o ambiente seja reeditado.

“Vai ser, com certeza, para toda a gente ligada à modalidade e principalmente para as pessoas do Sporting, para os jogadores, para o clube, para a secção, um momento especial, porque é uma ‘final four’ jogada em casa ou no Meo Arena, com uma grande oportunidade de fazerem, também, história. Mas vai ser difícil”, advertiu.

Na sexta-feira, o Sporting vai disputar uma vaga na final da prova frente aos espanhóis do FC Barcelona, enquanto a outra meia-final vai colocar frente os cazaques do Kairat Almati e os russos do Dina Moscovo.

“O Sporting não me parece estar a passar uma boa fase, mas o FC Barcelona também não, porque as duas equipas estão a perder no campeonato, em Portugal e em Espanha. As duas equipas parecem estar em pé de igualdade até aí. Agora, o Sporting já ganhou ao Inter Movistar, que é o campeão espanhol e é a equipa mais forte de Espanha. Se consegue ganhar ao Inter, consegue ganhar ao FC Barcelona. Estes jogos são diferentes”, reconheceu.

O antigo treinador do Benfica espera uma transformação do lado de lisboetas e catalães, antevendo que “deem tudo”.

“O Sporting tem as hipóteses que são normais, de jogar em casa e ter uma grande equipa. E o FC Barcelona também. De ser uma grande equipa, de já ter sido campeão da Europa, de ter grandes jogadores no seu plantel. Vai ser um jogo muito equilibrado”, rematou o antigo treinador do Benfica.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.