Jorge Braz não escondeu, esta segunda-feira, o orgulho pelo feito histórico conseguido na Lituânia.

Sensação de ser campeão do mundo: "O nosso patamar é este, agora queremos estar aqui de forma sustentada, contínua. O título de 2018 não podia ser uma questão de momento, queremos estar nas finais e assim podermos alcançar os títulos. Vamos lutar por estar em finais e lutar por títulos. Não sou ator, sou honesto e genuíno, mostro o que me vai na alma".

Os títulos da seleção portuguesa em várias modalidades: "Esta casa está a habituar-nos a isto. Aquele canto [dos troféus na federação] está a ficar pequeno. O mister [Fenando Santos] sempre disse que é muito bom vir para aqui. A ambição vai continuar alta e com certeza vamos receber outros troféus da federação. Somos todos da mesma família."

União da equipa: "Este grupo foram 17 homens fantásticos, gente de caráter que estabelece um objetivo e que vai com tudo. Queríamos muito trazer a taça".

Os festejos: "Houve muito festejo, muito salto, muita alegria. Não houve palavras. É uma satisfação enorme perceber que temos capacidade para estar a este nível e queremos continuar."

O título que faltava: "Quando disse que faltava o clique para sermos campeões do Mundo, sempre houve trabalho de qualidade. Esse crescimento permite-nos ter jovens atrevidos, que acreditam no nosso trabalho. Esse clique não se dá num momento, mas sim num processo de trabalho."

Sobre Bebé e Ricardo: "O Bebé é exemplo de vida. O Ricardo passou o que passou, sei o que passou desde a operação. O cuidado que todos tiveram nas férias... Quando se quer muito atinge-se."

As imagens da chegada dos campeões do mundo de futsal a Portugal

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.