Portugal conseguiu, esta terça-feira travar a selecção campeã do Mundo num jogo particular disputado em Coimbra. As duas potências da modalidade empataram a dois golos.

Primeira parte:

A primeira linha defensiva brasileira é muito forte e agressiva e isso teve consequências notórias na saída de jogo de Portugal nos primeiros instantes da partida. Eram muitas as dificuldades que a equipa das quinas encontrava para sair com a bola controlada. Esse facto acabou por beneficiar o Brasil nos primeiros dez minutos, altura na qual chegou ao golo por intermédio de Wilde.

Em desvantagem, a selecção nacional acelerou e conseguiu desenvencilhar-se aos poucos da teia montada pelo adversário. Marinho deu o primeiro sinal de real perigo aos dez minutos quando rematou de primeira com a bola a embater nos dois postes e a sair para fora. Depois foi Ricardinho que, em posição privilegiada atirou ao lado.

A selecção nacional estava bem mais em jogo, mas as dificuldades para entrar na área contrária eram grandes. Arnaldo e Rciardinho tentaram assim a sua sorte de fora da área, mas sem sucesso.

A excepção foi mesmo num lance que contou com um grande passe de Ricardinho para área contrária, onde surgiu Cardinal a desviar a bola de Sidão e fez o golo do empate. 

O Brasil respondeu apenas 60 segundos a responder. Rafael , sobre o término da primeira parte, rematou cruzado e voltou a colocar os forasteiros em vantagem, para desânimo do público presente que contava ir com o empate para o intervalo.

Segunda parte:

A segunda parte começou praticamente com o golo de Portugal. Num ressalto, a bola foi parar aos pés de Marinho que, isolado, ultrapassou o guarda-redes adversário, após a linha de meio-campo, e atirou para o fundo das redes fazendo o 2-2.

A toada dos últimos vinte minutos pautou-se essencialmente por um domínio consentido da equipa das quinas que procurava em transições rápidas chegar ao golo.

A estratégia estava montada mas não deu frutos. Arnaldo ainda teve nos pés o golo em duas ocasiões mas foi algo perdulário.

Do outro lado o Brasil dispôs de múltiplas oportunidades para desfazer o empate a dois golos, mas quer os postes, como André Sousa, guarda-redes que entrou no decorrer do segundo tempo, foram mantendo o empate, resultado que se registou no final.

Este acabou por ser um bom ensaio para Portugal que conquistou o seu terceiro empate frente ao Brasil, equipa campeã do Mundo, em 17 confrontos. O último empate entre as duas selecções havia ocorrido no ano 2006 na primeira edição dos Jogos da Lusofonia em Macau.

Esta quarta-feira as duas selecções voltam a defrontar-se, a partir das 19h30. 

Cinco inicial Portugal: Benedito, João Matos, Pedro Cary, Arnaldo e Ricardinho.

Jogaram ainda: Gonçalo Alves, Bruno, Cardinal, André Sousa, Bebé, Tiago Soares e Marinho.

Cinco inicial Brasil: Cidão, Ciço, Vinicius, Fernandinho e Wilde.

Jogaram ainda: Simi, Betão, Igor, Rafael e Neto. 

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.