Portugal e Rússia jogam hoje entre si o primeiro de dois particulares. As ligações entre estas duas equipas estreitaram-se mais esta temporada com a presença de vários portugueses no país soviético.

O CSKA decidiu revolucionar a sua equipa e foi a Portugal requisitar um quinteto de valores: Paulo Tavares (treinador), Nuno Dias (técnico-adjunto), Ricardinho, Cardinal e Divanei.

Para falar sobre estes jogos, o SAPO Desporto foi ao encontro de Cardinal – na altura, o jogador tinha acabado de saber que a lesão impedia-o de continuar nos trabalhos da seleção.

Sobre estes dois jogos com a Rússia, o pivot diz esperar serem «jogos intensos entre duas grandes seleções» e que qualquer uma possui «jogadores que podem desequilibrar».

O internacional português considera que Portugal tem de «fazer o que tem vindo a fazer» para vencer a Rússia e isso passa por «bater-se olhos nos olhos com qualquer seleção».

Sobre a sua experiência no CSKA Moscovo, Cardinal diz estar a ser «positiva» e que Moscovo é uma «cidade fantástica».

O campeonato russo tem atraído vários “estrelas” do futsal mundial pois o investimento na modalidade tem sido grande. O brasileiro Vinicius é um exemplo concreto desse facto.

Na opinião do jogador português estamos perante um campeonato muito forte.

«Já tenho dito isto a algumas pessoas. O campeonato está cada vez mais forte. Acho que todas as equipas têm três, quatro estrangeiros de grande qualidade. Isso também é bom para mim porque gosto de aprender com os melhores e jogar contra os melhores», concluiu.

O primeiro jogo Portugal – Rússia está marcado para, esta terça-feira, às 20h30 no pavilhão Dr. Salvador Machado, em Oliveira de Azeméis.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.